Letras de Músicas

DIA  BRANCO

Se você vier

Pro que der e vier comigo

Eu te prometo o Sol

Se hoje o Sol sair

Ou a chuva

Se a chuva cair

Se você vier até onde a gente chegar

Numa praça na beira do mar

Pedaço de qualquer lugar

Nesse dia branco

Se branco ele for

Esse tanto

Esse canto de amor

Se você quiser e vier

Pro que der e vier comigo

Esse tanto

Esse tanto

Esse tão grande amor

Se você quiser e vier

Pro que der e vier comigo.

(Geraldo Azevedo)

ADORO VOCÊ

Começo de tudo                             No fim disso tudo

Não dá pra saber                            Não dá pra esquecer

Passado ou futuro                          Bons tempos e temporais

Adoro você                                    Adoro você

Não é só com palavras                   São tantas idéias

Que a gente pode dizer                  Com certeza não dá pra ver

O futuro

Primeiro, o desejo                          Realizar

Depois o prazer                              A hora melhor

Até quando há lágrima                  É agora.

Adoro você

A vida não pára

Tempo que se tem pra viver              (Geraldo Azevedo)

É agora

Hora melhor

Realizar

É agora

Amor para sempre

Amor quero ter

Se ontem ou amanhã

Adoro você

Não tem mais segredo

Nada que se possa esconder

AÑOS

El  tiempo pasa…

Nos vamos poniendo viejos

El amor no nos reflejo como ayer

Em cada conversación cada beso, cada abrazo

Se empone siempre um pedazo de razón

Pasán los años

Y como cámbia lo que yo siento

Lo que ayer era amor

Se va tornado otro sentimento

Porque años atrás

Tomar tú mano, roubarte un  beso

Sin, forçar  el momiento

Hacia parte de una verdad …

El tiempo pasa…

Vamos viviendo , viendo la horas

Que van pasando

Las viejas, discusiones

Si van perdiendo entre las raziones…

A todo dices que si

A nada digo que no

Para poder construir

Esa tremenda harmonia

Que poñe viejos los coraciones

El tiempo pasa…

Vamos vivendo

Vendo las horas que van pasando

Las viejas discusiones

Si van perdiendo entre las raziones

A todo dices que si

A nada digo que no

Para poder construir

Esa tremenda harmonia

Que poñe viejos los coraciones

El tiempo pasa…

ARUEIRA

Geraldo Vandré

Vim de longe

Vou mais longe

Quem tem fé vai me esperar

Escrevendo numa conta

Pra junto a gente cobrar

No dia que já vem vindo

Que esse mundo vai virar.

Noite e dia

Vem de longe

Branco e preto

A trabalhar

E o dono

Senhor de tudo

Sentado mandando dar

E a gente fazendo conta

Pro dia que vai chegar.

Marinheiro, marinheiro

Quero ver você no mar

Eu também sou marinheiro

Eu também sei governar

Madeira de dar em doido

Vai descer até quebrar

É a volta do cipó de Arueira

No lombo de quem mandou dar.

Eu procuro um amor
que ainda não encontrei
diferente de todos que amei

Nos seus olhos quero descobrir
uma razão para viver
e as feridas dessa vida
eu quero esquecer

Pode ser que eu a encontre
numa fila de cinema
numa esquina ou numa mesa de bar

Procuro um amor
que seja bom pra mim
vou procurar, eu vou até o fim

E eu vou tratá-la bem
pra que ela não tenha medo
quando começar a conhecer
os meus segredos

Eu procuro um amor
uma razão para viver
e as feridas dessa vida
eu quero esquecer

Pode ser que eu gagueje
sem saber o que falar
mas eu disfarço
e não saio sem ela de lá

Procuro um amor
que seja bom pra mim
vou procurar, eu vou até o fim!!!

Ah, se pudessemos contar as voltas que a vida dá
pra que agente possa encontrar um grande amor,
é como se pudessemos contar todas estrelas do céu,
os grãos de areia desse mar, ainda sim, pobre coração
o dos apaixonados que cruzam o deserto em busca de um oásis em flor.
Arriscando tudo por uma miragem, pois sabem que há uma
fonte oculta nas areias, bem aventurados os que dela bebem, porque para sempre serão consolados.
Somente por amor agente põe a mão no fogo da paixão e deixa se queimar, somente por amor, movemos terra e céus, rasgando sete véus, saltamos do abismo sem olhar pra trás, somente por amor a vida se refaz.
Somente por amor agente põe a mão no fogo da paixão
e deixa se queimar, somente por amor, movemos terra e céus, rasgando sete véus, saltamos do abismo sem olhar pra trás, somente por amor, e a vida se refaz e a morte não é mais pra nós.

Scorpions – You And I (tradução)
by Scorpions

You And I
(Você e eu)
Scorpions

VERSE I
I lose control
Eu perco o controle
Because of you babe
Por sua causa, meu bem
I lose control
Eu perco o controle
When you look at me like this
Quando você me olha deste jeito
There's something in your eyes
Há algo mágico em seus olhos
That is saying tonight
Que está me dizendo que é esta noite

I'm not a child anymore,
Eu não sou mais uma criança
Life has opened the door
E a vida nos abriu uma porta
To a new exciting life
Para uma nova e incrível vida

I lose control
Eu perco o controle
When I'm close to you babe
Quando estou perto de você, meu bem.
I lose control
Eu perco o controle
Don't look at me like this
Não me olhe deste jeito...
There's something in your eyes,
Pois há mágico algo em seus olhos

Is this love at first sight
Será que é amor a primeira vista?
Like a flower that grows,
Como uma flor que cresce
Life just wants you to know
A vida quer que você saiba
All the secrets of life
Que todos os seus segredos
It's all written down
Estão todos escritos
In your lifelines
Nas linhas de sua mão
It's written down
Estão escritos
Inside your heart
Em seu coração

CHORUS
You and I
Você e eu
Just have a dream
Temos apenas um sonho
To find our love a place,
Para encontrar um lugar para nosso amor
Where we can hide away
Onde poderemos nos esconder
You and I
Você e eu
Were just made
Fomos feitos
To love each other now,
Apenas para nos amar
Forever and a day
Para todo o sempe e mais um dia

VERSE I

I'm so curious for more
Eu estou tão curioso para ter mais
Just like never before
Como nunca estive antes
In my innocent life
Em minha vida inocente
It's all written down
Está tudo escrito
In your lifelines
Nas linhas de sua mão
It's written down
Está escrito
Inside your heart
Em seu coração

CHORUS (2x)

You and I...
Você e eu...

“ A VIDA É BELA”

QUANDO VOCÊ PASSA POR MIM

QUE VIRA O ROSTO E NÃO ME OLHA

SINTO ALGUMA COISA QUE MACHUCA

E QUE ME APERTA O CORAÇÃO.

FICO FEITO UMA FLOR DESPROTEGIDA

TRISTE E JÁ DESPETALADA

ESPALHADA PELO VENTO QUE ME LEVA

PRO JARDIM DA SOLIDÃO.

É COMO SE EU NÃO VALESSE NADA

SÓ GUARDO ESSE TEU JEITO MAROTO

DE TRATAR MEU CORAÇÃO.

FAÇA ISSO NÃO, FAÇA ISSO NÃO

QUE DÓI, QUE DÓI, QUE DÓI DEMAIS (X2)

AI MINHA GENTE SE EU TIVESSE AQUELE AMOR

DARIA MINHA VIDA TODA PARA ELA

EU DAVA A NOITE, EU DAVA O DIA

E SÓ QUERIA EM TROCA UM POUQUINHO DELA

DEPOIS DIRIA PRO MUNDO INTEIRO

A VIDA É UMA MARAVILHA

A VIDA É BELA.

BANDEIRA DO DIVINO –  ( Ivan Lins)

1

Os devotos do divino

Vão abrir sua morada

Pra bandeira do menino

Ser benvinda, ser louvada,

2

Deus vos salves esse devoto

Pela esmola em vosso nome

Dando água a quem tem sede

Dando pão a quem tem fome.

3

A bandeira acredita

Que a semente seja tanta

Que essa mesa seja farta

Que essa casa seja santa.

4

Que o perdão seja sagrado

Que a fé seja infinita

Que o homem seja livre

Que a justiça sobreviva.

5

Assim como os três reis magos

Que seguiram a estrela guia

A bandeira segue em frente

Atrás de melhores dias.

6

No estandarte vai escrito

Que ele voltará de novo

Que o rei será bendito

Ele nascerá do povo.

Bob Dylan – Knockin’ On Heaven’s Door

Mama, take this badge off of me
I can't use it anymore.
It's gettin' dark, too dark to see
It feels like I'm knockin' on heaven's door.

Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door

Mama, put my guns in the ground
I can't shoot them anymore.
That long black cloud is comin' down
It feels like I'm knockin' on heaven's door.

Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door

Bob Marley

Africa Unite

Composição: Desconhecido

Africa, Unite
‘Cause we’re moving right out of Babylon
And we’re going to our father’s land

How good and how pleasant it would be
Before GOD and man, yeah
To see the unification of all Africans, yeah
As it’s been said already let it be done, yeah
We are the children of the Rastaman
We are the children of the Higher Man

Africa, unite ’cause the children wanna come home
Africa, unite ’cause we’re moving right out of Babylon
And we’re grooving to our father’s land

How good and how pleasant it would be
Before GOD and man
To see the unification of all Rastaman, yeah

As it’s been said already let it be done
I tell you who we are under the sun
We are the children of the Rastaman
We are the children of the Higher Man

So, Africa, unite, Africa, unite
Unite for the benefit of your people
Unite for it’s later than you think

Unite for the benefit of your children
Unite for it’s later than you think
Africa awaits its creators, Africa awaiting its creators
Africa, you’re my forefather cornerstone
Unite for the Africans abroad, unite for the Africans a yard
Africa, Unite

Africa Unite (tradução)

Composição: Bob Marley

Africa una-te, porque temos que sair da babilônia e estamos indo para terra de nosso pai. Como seria bom e agradável antes do Deus e do homem, ver a unificação de todos os africanos como já deveriamos ter feito, nós somos as crianças do Rastaman nós somosas crianças do homem mais elevado, portanto África una-te porque nossas crianças querem vir para casa, portanto África una-te porque temos que sair da babilônia e nós estamos trilhando a terra do nosso pai. Como seria bom e agradavel antes do Deus e do homem ver a unificação de todos os africanos como já deveriamoster feito isto, eu digo que nós estamos abaixo do sol, nós somosas crianças do Rastaman, nós somos as crianças do homem mais elevado, portanto Africa una-te, una-te para o beneficio de seus povos, una-te, pois esta mais tarde do que você pensa, una-te para o beneficio de suas crianças, una-te, pois esta mais tarde do que você pensa, África espera seus criadores, África esta esperando seus criadores, África, você é meu antepassado fundamental, una-te para os africanos estrangeiros, una-te pelos africanos de longe África una-te.

Buffalo Soldier

Composição: BOB MARLEY

Buffalo Soldier, Dreadlock Rasta
There was a Buffalo Soldier
In the heart of America
Stolen from Africa, brought to America
Fighting on arrival, fighting for survival

I mean it, when I analyse the stench
To me, it makes a lot of sense
How the Dreadlock Rasta was the Buffalo Soldier
And he was taken from Africa, brought to America
Fighting on arrival, fighting for survival

Said he was a Buffalo Soldier, Dreadlock Rasta
Buffalo Soldier, in the heart of America

If you know your history
Then you would know where you coming from
Then you wouldn’t have to ask me
Who the heck do I think I am

I’m just a Buffalo Soldier
In the heart of America
Stolen from Africa, brought to America
Said he was fighting on arrival
Fighting for survival
Said he was a Buffalo Soldier
Win the war for America

Dreadie, woe yoe yoe, woe woe yoe yoe
Woe yoe yoe yo, yo yo woe yo, woe yoe yoe
(repeat)
Buffalo Soldier, trodding through the land
Said he wanna ran, then you wanna hand
Trodding through the land, yea, yea

Said he was a Buffalo Soldier
Win the war for America
Buffalo Soldier, Dreadlock Rasta
Fighting on arrival, fighting for survival
Driven from the mainland
To the heart of the caribbean

Singing, woe yoe yoe, woe woe yoe yoe
Woe yoe yoe yo, yo yo woe yo woe yo yoe
(repeat)

Trodding through San Juan
In the arms of America
Trodding through Jamaica, a Buffalo Soldier
Fighting on arrival, fighting for survival
Buffalo Soldier, Dreadlock Rasta
Woe yoe yoe, woe woe yoe yoe
Woe yoe yeo yo, yo yo woe yo woe yo yoe

Exodus

Composição: Desconhecido

Exodus, movement of JAH people(Oh,Yeah)
Exodus, movement of JAH people
men and people will fight ya down,tell me why
when ya see JAH light
let me tell you if you’re not wrong(and why)
everything is allright
so we gonna walk,(allright) through the roads of creation
we’re the generation,tell me why
who trod through great tribulation
Exodus, movement of JAH people
Exodus, movement of JAH people
open your eyes and look within
are you satisfied with the life
you’re living(huh)
we know where we’re going
we know where we’re from
we’re leaving babylon
we’re going to our father’s land
Exodus, movement of JAH people
Exodus, movement of JAH people
Exodus, Exodus, Exodus
Exodus, Exodus, Exodus
movement of JAH people
movement of JAH people
movement of JAH people
movement of JAH people
move, move, move, movement of JAH people
JAH come to breakdown downpression, rule equality
wipe away transgression
and set the captives free
Exodus, movement of JAH people
Exodus, movement of JAH people

Get Up Stand Up

Composição: Desconhecido

Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: don’t give up the fight!

Preacherman, don’t tell me,
Heaven is under the earth.
I know you don’t know
What life is really worth.
It’s not all that glitters is gold;
‘Alf the story has never been told:
So now you see the light, eh!
Stand up for your rights. Come on!

Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: don’t give up the fight!
Get up, stand up: stand up for your rights!
Get up, stand up: don’t give up the fight!

Most people think,
Great God will come from the skies,
Take away everything
And make everybody feel high.
But if you know what life is worth,
You will look for yours on earth:
And now you see the light,
You stand up for your rights. Jah!

Get up, stand up! (Jah, Jah!)
Stand up for your rights! (Oh-hoo!)
Get up, stand up! (Get up, stand up!)
Don’t give up the fight! (Life is your right!)
Get up, stand up! (So we can’t give up the fight!)
Stand up for your rights! (Lord, Lord!)
Get up, stand up! (Keep on struggling on!)
Don’t give up the fight! (Yeah!)

We sick an’ tired of-a your ism-skism game -
Dyin’ ‘n’ goin’ to heaven in-a Jesus’ name, Lord.
We know when we understand:
Almighty God is a living man.
You can fool some people sometimes,
But you can’t fool all the people all the time.
So now we see the light (What you gonna do?),
We gonna stand up for our rights! (Yeah, yeah, yeah!)

So you better:
Get up, stand up! (In the morning! Git it up!)
Stand up for your rights! (Stand up for our rights!)
Get up, stand up!
Don’t give up the fight! (Don’t give it up, don’t give it up!)
Get up, stand up! (Get up, stand up!)
Stand up for your rights! (Get up, stand up!)
Get up, stand up! ( … )
Don’t give up the fight! (Get up, stand up!)
Get up, stand up! ( … )
Stand up for your rights!
Get up, stand up!
Don’t give up the fight!

Is This Love

Composição: Desconhecido

i wanna love you and treat you right
i wanna love you every day and every night
we’ll be together with a roof right over our heads
we’ll share the shelter of my single bed
we’ll share the same room, yeah, oh jah provide the bread

is this love, is this love, is this love
is this love that i’m feelin’?
is this love, is this love, is this love
is this love that i’m feelin’?

i wanna know, wanna know, wanna know now
i got to know, got to know, got to know now
i, i, i, i, i, i, i, i, i, i’m willing and able
so i throw my cards on your table

i wanna love you, i wanna love and treat, love and treat you right
i wanna love you every day and every night
we’ll be together yeah, with a roof right over our heads
we’ll share the shelter yeah, oh yeah, of my single bed
we’ll share the same room yeah, oh jah provide the bread

is this love, is this love, is this love
is this love that i’m feelin’?
is this love, is this love, is this love
is this love that i’m feelin’?
wo-o-o-oah!

oh yes i know, yes i know, yes i know now
oh yes i know, yes i know, yes i know now
i, i, i, i, i, i, i, i, i, i’m willing and able
so i throw my cards on your table

see i wanna love ya, i wanna love and treat ya, love and treat yaright
i wanna love you every day and every night
we’ll be together with a roof right over our heads
we’ll share the shelter of my single bed
we’ll share the same room yeah, oh jah provide the bread
we’ll share the shelter of my single bed

No Woman No Cry

Composição: Bob Marley

No woman no cry
No woman no cry
No woman no cry
No woman no cry

say, say,
Say I remember when we used to sit
In a government yard in Trenchtown
Observing the hypocrites
As they would mingle with the good people we meet
Good friends we have
Oh, good friends we have lost
Along the way
In this great future,
You can’t forget your past
So dry your tears, I seh

No woman no cry
No woman no cry
Little darling, don’t shed no tears
No woman no cry

Said I remember when we use to sit
In the government yard in Trenchtown
And then Georgie would make the fire lights
I seh, log would burnin’ through the nights
Then we would cook cornmeal porridge
Of which I’ll share with you
My feet is my only carriage
And so I’ve got to push on through,
Oh, while I’m gone

Everything ‘s gonna be alright
Everything ‘s gonna be alright

No woman no cry
No woman no cry

I say little darlin’
Don’t shed no tears
No woman no cry

Kinky Reggae

Composição: Bob Marley
I went downtown
I saw Miss Brown
She had brown sugar
All over her booga-wooga

I think I might join the fun
But I had to hit and run
See I just can’t settle down
In a kinky party of town

Ride on! Don’t you know I’ve got to ride on, oh baby
Ride on! See I just can’t settle down
Ride on! OH, I’m a leavin’ town

Kinky reggae, take me away!
Kinky reggae now!
Oh, kinky reggae!
All I’ve got to say….
Kinky reggae, now!
Kinky reggae, now! It’s gonna be kinky reggae
Kinky reggae, now!

An’ I would say….
Ride on, ride on, ride on, ride on!
Oh ride on, baby!
Ride on, come on, ride on

I went down to Piccadilly Circus
Down there I saw Marcus
He had a candy tar
All over his chocolate bar
I think I might join the fun
But I had to hit and run
See I just can’t settle down
In a kinky party of town

Nice one! That’s what they say
But I’m leavin’ you today
Oh darlin’ please don’t play
Mama say, mama say

Kinky reggae, take it or leave it
Kinky reggae, believe it
Kinky reggae, now
Kinky reggae, it’s gonna be kinky reggae
Kinky reggae, now.

Redemption Song

Composição: Desconhecido

Old pirates, yes, they rob I;
Sold I to the merchant ships,
Minutes after they took I
From the bottomless pit.
But my hand was made strong
By the hand of the all mighty.
We forward in this generation
Triumphantly.
Won’t you help me sing
these songs of freedom
Are all I ever have:
Redemption songs
Redemption songs
Emancipate yourselves from mental slavery;
None but ourselves can free our minds.
Have no fear for atomic energy,
‘Cause none of them can stop the time
How long shall they kill our prophets,
While we stand aside and look
Oh! Some say it’s just a part of it:
We’ve got to fulfill de book.
Won’t you help me sing
these songs of freedom
Are all I ever have:
Redemption songs
Redemption songs
Redemption songs
(Guitar break)
Emancipate yourselves from mental slavery;
None but ourselves can free our mind.
Wo! Have no fear for atomic energy,
‘Cause none of them-a can-a stop-a-the time
How long shall they kill our prophets,
While we stand aside and look?
Yes, some say it’s just a part of it:
We’ve got to fulfil the book.
Won’t you help to sing
These songs of freedom? -
Are all I ever had:
Redemption songs -
All I ever had:
Redemption songs:
These songs of freedom,
Songs of freedom.

Redemption Songs (tradução)

Composição: Bob Marley

Velhos piratas, sim eles me roubaram me venderam para navios mercantes, minutos depois eles me jogaram no porão mas minhas mãos foram fortalecidas pelas mãos do todo poderoso, nós avançamos triunfantemente nessa geração, tudo o que eu sempre tive foram canções de liberdade, voce não irá ajudar-me a cantar essas canções de liberdade?, porque tudo o que eu sempre tive foram canções de liberdade, canções de redenção. Liberte-se da escravidão mental ninguém além de você pode libertar sua mente, não tenha medo da energia atômica, porque eles não podem parar o tempo, por quanto tempo vão matar nossos profetas, enquanto nós permaneceremos de lado olhando. Sim, alguns dizem que é apenas uma parte nós temos que cumprir o livro. Você não ira ajudar-me acantar essas canções de liberdade? Porque tudo o que eu sempre tive foram canções de redenção. Tudo o que eu sempre tive foram canções de redenção essas canções de liberdade, canções de liberdade.

Survival

Composição: Bob Marley
How can you be sitting there
Telling me that you care
That you care
When everytime I look around
The people suffer in suffering
In everyway. In everywhere

Na-na-na-na-na
We’re the survivors; yes, the black survival

I tell you what
Some people got everything
Some poeple got nothing
Some people got hopes and dreams
Some people got ways and means

Na-na-na-na-na
We’re the survivors; yes, the black survival
Yes we’re the survivors like
Daniel out of the lions’ den, survivors, survivors

So my brethren, my sisthren
Which way will we choose
We better hurry, oh hurry woe now
‘Cause we got no time to lose

Some people got facts and claims
Some peole got pride and shame
Some people got the plots and schemes
Some people got no aim it seems

Na-na-na-na-na
We’re the survivors; yes, the black survival
We’re the survivors; yes, the black survival
We’re the survivors like shadrach, meshach and abednego
Thrown in the fire but never get burn

So my brethren, my sisthren
The preaching and talking is done
We gotta live up woe now, woe now
‘Cause the father’s time has come
Some people put the best outside
Some people keep the best inside
Some people can’t stand up strong
Some people won’t wait for long

Na-na-na-na-na
We’re the survivors; a black survival
In this age of technological inhumanity
We’re the survivors black survival
Scientific atrocity, we’re the survivors
Atomic mis-philosophy, we’re the survivors
Nuclear mis-energy
It’s a world that forces lifelong insecurity
All together now we’re the survivors
Yes, the black survival
A good man is never honoured in his own country, black survival
Nothing change, nothing strange
Nothing change, nothing strange
We got to survive, we’ve got to survive
But to live as one equal in the eyes of the almighty

Bob Marley – War

Until the philosophy which hold one race
Superior and another inferior
is finally and permanently discredited and abandoned
Everywhere is war, me say war.

That until there are no longer first class
and second class citizens af any nation
Until the color of a man's  skin
is of no more significance than the color of his eyes
Me say war.

That until the basic human rights are equally
guaranteed to all, without regard to race
Dis a war.

That until that day
the dream of lasting peace, world citizenship
rule of international morality
will remain in but a fleeting illusion
to be pursued, but never attained
Now everywhere is war, war.

And until the ignoble and unhappy regimes
that hold our brothers in Angola, in Mozambique,
South Africa sub-human bondage
have been toppled, utterly destroyed
Well, everywhere is war, me say war.

War in the east, war in the west
war up north, war down south
war, war, rumours of war.

And until that day, the African continent
will not know peace, we Africans will fight
we find it necessary and we know we shall win
as we are confident in the victory.

Of good over evil, good over evil, good over evil
Good over evil, good over evil, good ever evil.

Carlos Puebla

Hasta siempre

Aprendimos a quererte

Desde la histórica altura

Donde el sol de tu bravura

Le puso cerco a la muerte.

Aquí se queda la clara

La entrañable transparencia

De tu querida presencia

Comandante Che Guevara

Tu mano gloriosa y fuerte

Sobre la historia dispara

Cuando todo Santa Clara

Se dispierta para verte.

Aquí se queda la clara …

Vienes quemando la brisa

Con soles de primavera

Para plantar la bandera

Con la luz de tu sonrisa.

Aquí se queda la clara …

Tu amor revolucionario

Te conduce a nueva empresa

Donde esperan la firmeza

De tu brazo libertario.

Aquí se queda la clara …

Seguiremos adelante

Como junto a ti seguimos

Y con Fidel te decimos:

“¡Hasta Siempre Comandante!”

Aquí se queda la clara …

Catedral – Eu Amo Mais Você

Tom: C
Intro: C F
Solo: C G Dm F C G

C
Depois Dessa Ventania O Temporal
G
Fez Da Nossa Vida Um Mundo Desigual
Dm           F
Qual É A Tua? O Teu Segredo?
C             G
Me Diz Como Eu Vou Decifrar?

C
Minha Verdade É Absurda No Plural
G
Mas Pra Mim Honestamente É Normal
Dm             F
Na Minha Onda, Teu Oceano
C         G
Me Ensina Como Navegar

Dm          F          C
Eu Amo Mais Você Do Que Eu

C
A Tardinha As Coisas Mudam Sem Parar
G
E A Gente Fala Muito Por Falar
Dm               F
Mas De repente, A Gente Sente
C             G
Que Tudo Sobrou Num Olhar

C
Penso Infinitamente Sem Parar
G
A Verdade E Transparente No Mirar
Dm             F
Da Tua Retina, Minha Menina
C           G
Me Diz Como Não Te Amar?

Dm          F          C
Eu Amo Mais Você Do Que Eu

Solo: C G Dm F C F

Repete a 2ºparte e o refrão 4x

__________________________________________________

Catedral – O Nosso Amor

Intro: F C
Solo: C F Am G Dm F C G

 F                      C          
Eu não sei bem o que vou dizer
F                      C         
Mais mesmo assim você fala o que eu quero
F                      C 
Eu nao sei bem o que vou dizer
F                      C
Mais mesmo assim você faz o que eu quero
G
Nossas pegadas no chão um coração
C                     F          
Te amar é mais que um prazer
Am                       G
Como é bom prescisar de você
Dm       F      C          G

Catedral – Por Te Conhecer

Não precisa dizer nada que você não queira dizer
Não precisa sentir nada que você não queira sentir
Só me olhe assim para que eu possa encontrar
Tudo que me falta em você

Eu não quero falar nada que eu tenha que explicar
Eu não quero sentir nada que eu tenha que definir
Só quero te olhar para que eu possa entender
A falta em mim que vem de você

Só quero te olhar para que eu possa entender
A falta em mim que vem de você

Olhe para o lado estou ali
Bem pertinho de você
Hoje eu falo sem me sufocar
Obrigado por te conhecer

Dire Straits – Brothers In Arms (tradução)

Estas montanhas
cobertas de névoa
são um lar para mim agora
mas meu lar
são as planícies
e sempre serão
algum dia vocês voltarão
para seus vales
e suas fazendas
e não mais
arder o desejo
de ser um companheiro
de batalha
por estes campos
de destruição
batismos de fogo
assisti a todo
o seu sofrimento
enquanto a batalha
se acirrava
e apesar de terem 
me ferido gravemente
em meio ao medo
e ao pânico
vocês não me desertaram
meus companheiros
de batalha
há tantos mundos diferentes
tantos sóis diferentes
e nós temos apenas um
mas vivemos em
mundos distintos
agora o sol
foi para o inferno
e a lua está alta
deixe-me dizer "adeus)
todo homem tem de morrer
mas está escrito nas estrelas
e em todas as linhas
de sua mão
somos tolos de guerrear
contra nossos companheiros
de batalha

Eric Clapton – Wonderful Tonight

 
It's late in the evening
She's wonderin' what clothes to wear
She puts on her make-up
And brushes her long blond hair

And then she asks me, "Do I look all right?"
And I say yes, you look wonderful tonight

We go to a party
And everyone turns to see
This beautiful lady
walkin around with me

And then she asks me, "Do you feel all right?"
And I say yes, I feel wonderful tonight

I feel wonderful because I see the love light in your
eyes
And the wonder of it all is that you just don't
realize how much I love you

It's time to go home now
And I've got an achin' head
So I give her the car keys
And she helps me to bed

And then I tell her
As I turn out the light
I say my darlin', you were wonderful tonight
Oh, my darlin, you were wonderful tonight

Se tu quiser,
Eu invento um vento pra ventar o amor
Uma chuva bem chovida pra chover pé de fulô
Pra tu ficar cheirosa e vir dançar mais eu
Se tu quiser
Poemo um poema bem cheio de rima
Eu acendo a estrela mais bonita lá de cima
Faço tudo o que puder pra tu ficar mais eu

Se tu quiser,
Eu crio um sentimento pra gente se amar
Descubro um jeito novo de te abraçar
Te beijo com um beijo que ninguém nunca beijou
Se tu quiser
Basta me dizer que eu virei correndo
É só me avisar que tu tá me querendo
Que o mundo vai saber o que é um grande amor

Não lembrava de tudo
Eras pra mim um vulto
Iluminado de Poesia
Não Lembrava do gosto do Mel
Do céu com mil falenas
De sua terra pequena
Mas lembrava-me do que senti por ti
E isto não tem forma so os “se”

Eric Clapton

Tears in Heaven
Lágrimas no paraíso

Would you know my name
Você saberia meu nome
If I saw you in heaven
Se eu visse você no paraíso
Would it be the same
Ele seria o mesmo
If I saw you in heaven
Se eu visse você no paraíso
I must be strong
Eu preciso ser forte
And carry on
E seguir adiante
‘Cos I know I don’t belong
Porque eu sei que não pertenço
Here in heaven
Aqui ao paraíso
Would you hold my hand
Você seguraria minha mão
If I saw you in heaven
Se eu visse você no paraíso
Would you help me stand
Você me ajudaria a suportar
If I saw you in heaven
Se eu visse você no paraíso
I’ll find my way
Eu encontrarei meu caminho
Through night and day
Através da noite e do dia
‘Cos I know I don’t can stay
Porque eu sei que não posso ficar
Here in heaven
Aqui no paraíso
Time can bring you down
O tempo poderá deixá-lo triste
Time can bend your knees
O tempo poderá dobrar seus joelhos
Time can break your heart
O tempo poderá quebrar seu coração
Heave you begging please
Você terá de recomeçar por favor
Begging please
Recomece por favor
Beyond the door
Próximo da porta
There’s peace I’m sure
Há paz, eu tenho certeza
And I know
E eu sei
There’ll be no more
Que lá não haverá mais
Tears in heaven
Lágrimas no paraíso

Eros Ramazzotti – Cose Della Vita

Sono umane situazioni
quei momenti fra di noi
i distacchi e i ritorni
da capirci niente poi
gia...come vedi
sto pensando a te....si...da un po'

Confinanti di cuore solo che ognuno sta
dietro gli steccati degli orgogli suoi
sto pensando a te
sto pensando a noi...

Sono cose della vita
vanno prese un po'cosi

Gia'... come vedi
io sto ancora in piedi

Perche
sono umani tutti i sogni miei
con le mani io li prenderei, si perche

Sono cosa della vita
ma la vita poi dov'e

Questa notte che pasa piano accanto a me
cerco di affrontarla, afferrarla

Eros Ramazzotti – Cose Della Vita (tradução)

São situações humanas
Aqueles momentos entre nós
As separações e os retornos
De se entender nada depois
Agora como vês
Estou pensando em ti... Sim... Daqui um pouco
São condições humanas
Estar bem depois não
Pode depender dos dias,
Das nostalgias que tenho
Agora... Como vês
Estou pensando em ti
Como este tempo não fosse passado mais
Onde estivemos, coisas somos, pois
Limitações do coração de cada um
Dentro dos limites dos orgulhos seus
Estou pensando em ti
Estou pensando em nós
São coisas da vida
Que vão sendo presas um pouco assim
E já foi um trabalho
Chegar até aqui
Agora... Como vês
Estou ainda em pé
Porque
São humanos todos os sonhos meus
Com as mãos eu os prenderei, sim porque
São humanos estes sonhos meus
Com as mãos eu os prenderei
São coisas da vida
Mas a vida então, onde está?
Desde quando partiu
Uma perseguição é
Agora... Como vês
Estou pensando ainda em ti
Esta noite que passa calma junto a mim
Procuro afrontá-la, prendê-la
E se seguro as curvas do coração deslizando um pouco
Quero provocá-la agora também com isso
Estou pensando em ti
Estou pensando em nós
Daqui um pouco...
Agora
Daqui um pouco...

Feito um anjo

Decadente

Meio santo, meio gente

À meia luz.

Feito virgem

Indecente

Meio Deus, meio demônio

Feito nós.

Feito bicho

Em longo cio

Meio bom, meio ruim

Quase normal

Feito a vida

Enlouquecida

Meio morte, meio gozo

E carnaval

Séculos de lutas e de luto

Máscara de dor e de arrogância

Décadas de nomes e de fome

Pátrias dissolvidas pelo poder

Lâmina que corta a carne fraca

Código de ética da raça

Máquina que mata sem remorso

Mácula na branca luz da manhã

Feito um mártir

Meio ingênuo

Meio burro, meio gênio

Nada mais

Feito um louco

Feiticeiro

Meio Cristo, meio Exu

E satanás

Mágicos e faunos na floresta

Lógica da física concreta

Cânticos eternos como o vento

Tempo de escutar a terra falar

Lágrimas de todas as crianças

Dádiva de amor e de esperança

Pálido o futuro nos abraça

Bêbado dos homens e seu licor

Elba Ramalho – Frisson
by Tunai/sergio Natureza

FRISSON

Meu coração pulou
Você me chegou me deixou assim
Com os pés fora do chão
Pensei: "que bom, parece enfim, acordei"
Pra renovar meu ser
Faltava mesmo chegar você
Assim sem me avisar
E acelerar um coração que já
Bate pouco de tanto procurar por outro
Anda cansado mas quando você está do lado
Fica louco de satisfação
Solidão nunca mais
você caiu do céu
Um anjo lindo que apareceu
Com olhos de cristal
Enfeitiçou, eu nunca vi nada igual
De repente você surgiu na minha frente
Luz cintilante, estrela em forma de gente
Invasora do planeta amor
você me conquistou

ME OLHA, ME TOCA
ME FAZ SENTIR
QUE É HORA, AGORA
DA GENTE IR...

Arueira

Composição: Geraldo Vandré

Vim de longe, vou mais longe
Quem tem fé vai me esperar
Escrevendo numa conta
Pra junto a gente cobrar
No dia que já vem vindo
Que esse mundo vai virar
Noite e dia vêm de longe
Branco e preto a trabalhar
E o dono senhor de tudo
Sentado, mandando dar.
E a gente fazendo conta
Pro dia que vai chegar
Marinheiro, marinheiro
Quero ver você no mar
Eu também sou marinheiro
Eu também sei governar.
Madeira de dar em doido
Vai descer até quebrar
É a volta do cipó de arueira
No lombo de quem mandou dar.

Canção Nordestina

Composição: Geraldo Vandré

Que sol quente que tristeza
que foi feito da beleza
tão bonita de se olhar
que é de Deus da Natureza
se esqueceram concerteza
da gente deste lugar
Olhe o padre com a vela na mão
tá chamando prá rezar
menino de pé no chão
já não sabe nem chorar
reza uma reza cumprida
p’ra ver se o céu saberá.
Mas a chuva não vem não
e esta dor no coração
Aí quando é que vai se acabar,
quando é que vai se acabar?

CANÇÃO DA DESPEDIDA

Já vou embora, mas sei que vou voltar
Amor não chora, se eu volto é pra ficar
Amor não chora, que a hora é de deixar
O amor de agora, pra sempre ele ficar
Eu quis ficar aqui, mas não podia
O meu caminho a ti, não conduzia
Um rei mal coroado,
Não queria
O amor em seu reinado
Pois sabia
Não ia ser amado
Amor não chora, eu volto um dia
O rei velho e cansado já morria
Perdido em seu reinado
Sem Maria
Quando eu me despedia
No meu canto lhe dizia

CANÇÃO DO BREVE AMOR

Breve
Foi a felicidade que trouxe o breve amor
Breve
Como a mais breve estrela que no céu passou
Breve o instante comovente da paixão
Instante que redime
E faz sofrer e faz chorar o coração
Breve
Como a perdida flor
Que longe floresceu
E o homem não colheu pra o seu amor
Breve foi a felicidade
Como longa essa saudade
Como triste o nosso amor

INTERNACIONAL (Sem cortes)

De pé ó vítima  da fome

Da idéia a chama já consome

A crosta bruta que a soterra

Cortai o mal bem pelo fundo

De pé, de pé, não mais senhores

Se nada somos em tal mundo

Sejamos tudo ó produtores.

REFRÃO BIS:

Bem unidos façamos

Nesta luta final

Uma terra sem amos

A Internacional

Senhores, patrões, chefes supremos

Nada esperamos de nenhum

Sejamos nós que conquistemos

A terra mãe livre comum

Para não ter protestos vãos

Para sair deste antro estreito

Façamos nós com nossas mãos

Tudo o que a nós diz respeito.

REFRÃO:

O crime do rico a lei o cobre

O Estado esmaga o oprimido

Não há direito para o pobre

Ao rico tudo é permitido.

À opressão não mais sujeitos

Somos iguais todos os seres

Não mais deveres sem direitos

Não mais direitos sem deveres.

REFRÃO:

Abomináveis na grandeza

Os reis da mina e da fornalha

Edificaram a riqueza

Sobre o suor de quem trabalha

Todo o produto de quem sua

A corja rica o recolheu

Querendo que ele o restitua

O povo quer só o que é seu.

REFRÃO:

Nós fomos de fumo embriagados

Paz entre nós guerra aos senhores

Façamos greve de soldados

Somos irmãos trabalhadores

Se a raça vil cheia de galas

Nos quer  à força canibais

Logo verá que nossas balas

São para os nossos generais.

REFRÃO:

Pois somos do povo os ativos

Trabalhador forte e fecundo

Pertence a terra aos produtivos

Ó parasita deixa o mundo.

Ó parasita que te nutres

Do nosso sangue a gotejar

Se nos faltarem os abutres

Não deixa o Sol se fulgurar.

Youssou N’dour – 7 Seconds (with Neneh Cherry)
Boul ma sene, boul ma guiss madi re nga fokni mane
Khamouma li neka thi sama souf ak thi guinaw
Beugouma kouma khol oaldine yaw li neka si yaw
mo ne si man, li ne si mane moye dilene diapale

Roughneck and rudeness,
We should be using, on the ones who practice wicked
charms
For the sword and the stone
Bad to the bone
Battle is not over
Even when it´s won
And when a child is born into this world
It has no concept
Of the tone the skin is living in

It´s not a second
7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting
It´s not a second
7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting (3x)

J´assume les raisons qui nous poussent de changer
tout,
J´aimerais qu´on oublie leur couleur pour qu´ils
esperent
Beaucoup de sentiments de race qui font qu´ils
desesperent
Je veux les portes grandements ouvertes,
Des amis pour parler de leur peine, de leur joie
Pour qu´ils leur filent des infos qui ne divisent pas
Changer

7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting
It´s not a second
7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting (3X)

And when a child is born into this world
It has no concept
Of the tone the skin is living in
And there´s a million voices
And there´s a million voices
To tell you what she should be thinking
So you better sober up for just a second

7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting
It´s not a second
7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting
It´s not a second
7 seconds away
Just as long as I stay
I´ll be waiting...

Sene de Boul miliampère, madi dos guiss do miliampère do boul re o guinaw do thi do ak do souf do sama do thi do neka do li de Khamouma do mane do fokni do nga Guinada do silicone do neka do li da guinada do oaldine do khol do kouma de Beugouma homem do silicone do ne do mo, diapale do dilene do moye do mane do silicone do ne do li Roughneck e rudeness, Nós devemos usar-se, em esses que praticam encantos maus Para a espada e a pedra Bad ao osso A batalha nao sobre Mesmo quando os it´s ganharam E quando uma criança for carregada neste mundo Não tem nenhum conceito Do tom a pele está vivendo dentro It´s não um segundo 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando It´s não um segundo 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando (3x) O qui de poussent nous cambiador dos raisons dos les de J´assume tout, O couleur do leur do oublie do qu´on de J´aimerais derrama os qu´ils esperent Qu´ils da pia batismal do qui da raça de Beaucoup de sentiments de desesperent Ouvertes dos grandements dos portes dos les do veux de Je, Os amis do DES derramam o peine de parler de leur, de leur que o joie derrama do qui filent dos infos do DES do leur dos qu´ils o cambiador divisent dos pas do ne 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando It´s não um segundo 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando (3X) E quando uma criança for carregada neste mundo Não tem nenhum conceito Do tom a pele está vivendo dentro E lá vozes do ´ S.A. milhão E lá vozes do ´ S.A. milhão Para dizer-lhe o que deve pensar Assim você mais melhor sober acima por apenas um segundo 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando It´s não um segundo 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando It´s não um segundo 7 segundos ausente Apenas contanto que eu permaneço I´ll esteja esperando…

Xico Bizerra – Se Tu Quiser
Xico Bizerra
se tu quiser
eu invento um vento pra ventar o amor
uma chuva bem chovida pra chover pé de fulô
pra tu ficar cheirosa e vir dançar mais eu
se tu quiser
poemo um poema bem cheiro de rima
acendo a estrela mais bonita la de cima
faço tudo que puder pra tu ficar mais eu
se tu quiser
eu crio um sentimento pra gente se amar
descubro um jeito novo de te abraçar
te beijo com um beijo que ninguem nunca beijou
se tu quiser
basta me dizer que eu irei correndo
é só me avisar que tu tá me querendo
e o mundo vai saber o que é um grande amor
Flavio Leandro – Não é Pouco Não
Flávio Leandro / Danísio Leandro/ Vanvan Jorge
Dizem que o amor meu beija-flor
É traiçoeiro
E eu brinquei de amar meu beija-flor
O tempo inteiro
Nas asas de um vento leve
Me leve meu querubim
Carregue prá longe a saudade 
E a felicidade traga prá mim
Adoro ver teu sorriso
Preciso de teu querer
Espero que chegue agora
Eu não vejo a hora
De te dizer
Tô gostando de você
E não é pouco não
Tô gostando de você
E não é pouco
Tô gostando de você
E não é pouco não
Tô gostando de você 
Dona do meu coração

Utopia Sertaneja

Flavio Leandro

Composição: Flávio Leandro / Miguel Filho

Um dia quando o sertão tirar da terra o sustento
Do norte, soprar o vento e varrer todo espinho
O homem pêlos caminhos nos, desafios das léguas
A noite mansa faz trégua, toca a viola em ponteio
Em um repente sem freio, toada, xote e baião

Um dia quando o sertão deixar de ser um mendigo
Ter no poder em amigo seja bem verdadeiro
Os últimos serão os primeiros, já foi bern claro o rabino
Falar pra quê, em El-niho? Em abundante riqueza
O pão enfim chega à mesa, á tempo de louvação

Um dia quando o sertão se preparar pro saber
Da carta do ABC e dominar toda ciência
Terá auto-suficiência, será do mundo o celeiro
Profetizou Conselheiro a idos tempos atrás
O nó enfim se desfaz é tempo de redenção

Um dia quando o sertão não esquecer sua história is,
Comemorar suas glórias, mostrar que é povo aguerrido
Dançar em solo batido, um forró, coco e xaxado
Terreiro todo enfeitado, sanfona em plena harmonia
Triângulo,zabumba alegria é tempo de São João

Um dia quando o sertão for simplesmente isso tudo
Ouvir e não ficar mudo, poder viver seu papel
Não mais beber desse fel, que amarga feito jiló
Fazer um voo maior nas asas da alforria
Nas brasas da hipocrisia não ver queimado o seu chão.

O Velho e a Flor
>> Toquinho
Por céus e mares eu andei
Vi um poeta e vi um rei
Na esperança de saber o que é o amor
Ninguém sabia me dizer
eu já queria até morrer
Quando um velhinho com uma flor
Assim falou

O amor é o carinho
É o espinho que não se vê
Em cada flor
É a vida quando
chega sangrando
Aberta em pétalas de amor

Toquinho – Andança (cifrada)
by Toquinho

Tom............: Eb 
Introdução.: Eb7+ B9 E7+ Fm7/5- Bb7/6 Eb7+ 

                     B9
Vim tanta areia andei
                E7+
Da lua cheia eu sei
             Fm7/5- Bb7/6 Eb7+
Uma saudade imensa

                       B9
Vagando em verso eu vim
             E7+
Vestido de cetim
               Fm7/5- Bb7 Eb7/4
Na mão direita rosas vou levar

Eb7+   
   Olha a lua mansa a se derramar (me leva amor)
                         F/Eb
Ao luar descansa meu caminhar (amor)
                            Bb/D
Meu olhar em festa se fez feliz (me leva amor)
                                  Bb7                  Bb/Ab   

 Eb7+
Lembrando a seresta que um dia eu fiz (por onde for quero ser
seu par)

Já me fiz a guerra por não saber (me leva amor)
                                  F/Eb
Que esta terra encerra meu bem-querer (amor)
                          Bb/D
E jamais termina meu caminhar (me leva amor)
                                Bb7                  Bb/Ab     
Eb7+
Só o amor me ensina onde vou chegar (por onde for quero ser seu
par)

                   B9
Rodei de roda andei
                 E7+
Dança da moda eu sei
                Fm7/5- Bb7/6
Cansei de ser sozinha

Eb7+                   B9
   Verso encantado usei
               E7+
Meu namorado é rei
                Fm7/5-  Bb7   Eb7/4   Eb7+  
Nas lendas do cami.i.i.inho onde andei

No passo da estrada só faço andar (me leva amor)
                              F/Eb
Tenho o meu amor pra me acompanhar (amor)
                                Bb/D
Vim de longe léguas cantando eu vim (me leva amor)
                               Bb7                Bb/Ab       
Eb7+
Vou e faço tréguas sou mesmo assim (por onde for quero ser seu
par)

Já me fiz a guerra por não saber (me leva amor)
                                  F/Eb
Que esta terra encerra meu bem-querer (amor)
                          Bb/D
E jamais termina meu caminhar (me leva amor)
                                Bb7                  Bb/Ab     
Eb7+

Toquinho – Ao Que Vai Chegar

D     Gm/D     D     Gm/D     D     Gm/D     D     Gm/D     A7/4
    A7

D6/9
Voa,  coração 

         G6                 Em/F#
a minha  força  te  conduz 

        Em7                  A7             D6/9         
A7(9/13)
que  o  sol  de  um  novo  amor  em  breve  vai  brilhar

D6/9                               G6                     
Em/F#
Vara  a  escuridão,  vai  onde  a  noite  esconde  a  luz 

   Em7            A7                    D7/4   D7
Clareia  seu  caminho  e  acende  seu  olhar 

                G                  G(#11)         F#m   B7
Vai  onde  a  aurora  mora  e  acorda  um  lindo  dia

                Em7        A7                  Am          
D7/A
colhe  a  mais  bela  flor    que  alguém  já  viu   nascer

              G                  G(#11)         F#m          
e  não  se  esqueça  de  trazer  força  e  magi - a,

                Cm6       E7(9)           A7(9)      D
o  sonho  e  a  fantasi - a,  e  a  ale - gria      de    viver

Gm/D     D     Gm/D     A7/4     A7

D6/9          
Voa,  coração 

               G6            Em/F#
que  ele  não  deve  demorar

   Em7                      A7                 D6/9    
A7(9/13)
e  tanta  coisa   a   mais     quero  lhe  ofe - recer

   D6/9                                    G6                   
 Em/F#
O  brilho  da  paixão,  pede  a  uma  es - trela   pra 
emprestar

   Em7                 A7             D7/4      D7
e  traga  junto  a  fé     num  novo  amanhecer

             G             A/G                  F#m    B7
Convida  as  luas  cheia,  minguante  e  cres - cente

                 Em7              A7
e  de  onde  se  planta  a  paz,

            Am       Am(add9)    Am    C6/9    C7(#11)
da  paz  quero  a  raiz

          G                   A/G                F#m
E  uma  casinha  lá  onde  mo - ra  o  sol  poen - te

          Cm6           E7(9)        A7(9)  D
pra  finalmente  a  gen - te  simplesmente  ser  feliz

Toquinho – Aquarela (cifrada)

(introdução)

G     Em/B     C     D7/9(omit3)    

G     Em/B     C     D7/9 (omit3)

G     Em/B     C     D7/9 (omit3)

G     Em/B     C     D7/9 (omit3)

G                       Em/B                  C             
D7/9(omit3)
Numa  folha   qualquer       eu  desenho  um  sol  amarelo 

G                        Em/B               C               
D7/9(omit3)
e  com  cinco  ou  seis  retas  é  fácil  fazer  um  castelo 

G                     Em/B                    C             
D7/9(omit3)
Corro  o  lápis  em   torno  da  mão  e  me   dou  uma  luva 

G               Em/B                       C                    
 D7/9(omit3)
e  se  faço  chover,  com  dois  riscos  tenho  um  guarda-chuva

Em                           Em/D               C               
       F7+
Se  um  pinguinho  de  tinta      cai  num  pedacinho  azul  do 
papel 

G                   Em/B                  C                     
 D7/9(omit3)
num  instante  imagino   uma   linda   gaivota  a  voar  no  céu

G            Bm/F#                  C/E          D7/9(omit3)
Vai  voando,       contornando  a  imensa  curva           
Norte e Sul

G             Bm/F#           C/E             D7/9(omit3)
Vou  com  ela       viajando  Havaí,   Pequim            ou   
Istambul 

G                       B7/F#           B7/D#     Em    
Pinto  um  barco  a   vela     branco   navegan - do, 

   Em/D           A7(9)/C#               A7/9(omit3)  
D7/9(omit3)
é  tanto céu  e   mar      num   beijo   azul 

G                  Bm/F#            C/E               
D7/9(omit3)
Entre  as  nuvens  vem    surgindo  um   lindo  avião  rosa  e 
grená 

G               Bm/F#             C/E              D7/9(omit3)
Tudo  em  volta       colorindo,  com  suas  luzes             a
  piscar 

G                B7/F#             B7/D#       Em         Em/D  
     A7(9)/C#        
Basta  imaginar        e   ele   está   partin -  do,   sereno e
 lin -        do 

           A7/9(omit3)    D7/9(omit3)               (C)
e  se  a   gente       quiser         ele  vai   pousar

(improviso)

G     Em/B     C     D7/9(omit3)    

G     Em/B     C     D7/9 (omit3)

G                      Em/B                 C                
D7/9(omit3) 
Numa  folha  qualquer  eu   desenho   um  navio  de  partida 

G                   Em/B                 C                
D7/9(omit3)
com  alguns  bons  amigos  bebendo  de   bem  com  a  vida 

G                    Em/B               C                 
D7/9(omit3)
De  uma  América  a  outra  consigo  passar  num  segundo 

G                     Em/B                        C             
 D7/9(omit3)
Giro  um  simples  compasso  e  num  círculo  eu  faço  o  mundo

Em            Em/D                   C                F7+
Um  menino  caminha  e  caminhando   chega  no  muro 

G                      Em/B                            C        
           D7/9(omit3)
e  ali  logo  em  fren -    te   a  esperar  pela   gente  o 
futuro  está 

G              Bm/F#                 C/E           D7/9(omit3)
E  o  futuro   é     uma  astronave  que  tentamos           
pilotar 

G                Bm/F#          C/E            D7/9(omit3)
Não  tem  tempo  nem   piedade  nem  tem  hora             de
chegar 

G                 B7/F#            B7/D#    Em        
Sem  pedir  licen -     ça   muda  nossa    vida, 

  Em/D         A7(9)/C#          A7/9(omit3)         
D7/9(omit3)
depois   convi -        da   a   rir          ou   chorar 

G              Bm/F#                 C/E              
D7/9(omit3)
Nessa  estrada       não  nos  cabe  conhecer  ou  ver          
 o  que  virá 

G            Bm/F#                C/E            D7/9(omit3)
O  fim  dela       ninguém  sabe  bem  ao  certo            
onde  vai  dar 

G                   B7/F#             Em    
Vamos  todos  numa  linda  passarela 

        Em/D           A7(9)/C#     A7/9(omit3)     D7/9(omit3) 

de  uma      aquarela  que      um  dia           enfim 

        (C)      G    
descolo -   ri - rá 

                 Em/B                   C            
D7/9(omit3)
Numa  folha  qualquer  eu  desenho  um  sol  amarelo         

(que descolorirá) 

G                        Em/B               C                
D7/9(omit3)
e  com  cinco  ou  seis  retas  é  fácil  fazer  um  castelo    

                  G
(que   descolori  -  rá) 

G                      Em/B                        C            
  D7/9(omit3)
Giro  um  simples   compasso  e  num  círculo  eu  faço  o 
mundo    

             G
(e  descolo  -  rirá)

Toquinho – Caderno

(introdução)

C     G/B     Am     Am(add9)     Am     C7/G     F     G    
F6

Em     Dm7     G     C     G/B     Am7     C7(13)     F

G6/F     C     G7          

     C                       Em7/B
Sou  eu  que  vou  seguir  você 

                 Am                C7
do  primeiro   rabisco  até  o  bêabá

    F                    A7/E              Dm
em  todos  os  desenhos  coloridos  vou  estar 

   F            G/F           C/E         Am
a  casa,  a  montanha,  duas  nuvens  no  céu 

       Dm7           Bb°            D7/A   G7/4(9)   G7
e  um  sol  a  sor - rir  no   pa - pel 

     C                         Em7/B
Sou  eu  que  vou  ser  seu  colega, 

                 Am                 C7
seus  problemas  ajudar a  resolver 

     F                       A7/E                    Dm
te  acompanhar  nas  provas  bimestrais,  você  vai  ver 

  F             G/F      C/E      Am
Serei  de  vo - cê  confidente  fiel, 

         Dm7       Bb°          D7/A   G7/4(9)   G7
se  seu  pranto  molhar  meu  papel 

     C                         Em7/B
Sou  eu  que  vou  ser  seu  a - migo, 

                Am                   C7
vou  lhe  dar  abrigo,  se  você  quiser 

    F                      A7/E                 Dm7
quando  surgirem  seus  primeiros  raios  de  mulher 

   F             G/F         C/E           Am
A  vida  se  abrirá   num  feroz  carros - sel 

     Dm7         Bb°         D7/A    G7/4(9)    G7
e  você  vai  rasgar  meu  papel 

   C
O  que  está  escrito  em  mim 

  Em7/B             Am                     C7
comigo  ficará  guardado,  se  lhe  dá  prazer 

   F                        A7/E                            Dm7
A  vida  segue  sempre  em  frente,  o  que  se  há  de  fa -
zer 

    F          G/F       C/E         Am
Só  peço  a  você  um  favor,  se  puder: 

           Dm7         G7         C     Fm/C     C     C/G

~

MEU NINHO RAIOS  DE LUZ

Fiz a cama na varanda                                               Você  chegou

Sobre o manto das estrelas                                         E iluminou

Fui deitar com meu amor                                           O meu olhar

Deu um vento na roseira                                             Teus olhos nus

Espalhou a primavera                                                  Raios de Luz

E cobriu a flor com amor                                             No azul do mar

Afogado em tanta rosa                                                 Meu coração

Tive a rosa mais bonita                                                Que sempre quis acreditar

Que é você, meu querer bem                                        Bateu feliz

Hoje eu sei que dessa vida                                            Foi só você chegar

Só se leva a paz vivida                                                  Sei que a paixão

O viver e o querer bem                                                Apaga o chão

Rareia o ar

Deu um vento na roseira                                              Ser  e não ser

Por amor aprisionado                                                   Negar, querer

Fiz meu ninho com você                                               Fugir, ficar

Meu querer bem                                                           Mas não fui eu que quis assim

Meu bem querer                                                           Aconteceu você pra mim

E eu não vou negar o que

No seu mundo eu fiz meu ninho                                  O acaso quis pra nós

Mesmo quando eu vou sozinho                                    A chama desse amor me faz

Estou junto de você                                                      Sorrir, cantar, te quero mais

Cada curva no caminho                                                Te chamo só pra repetir

Cada rosa e cada espinho                                              TE AMO.

Dão saudade de você

Seu amor puro e sincero                                               ( Cristóvão Bastos & Abel Silva)

Por ser tudo que eu quero                                                            Canta: Simone

Faz você meu bem querer

Fiz cama na varanda

Mesmo quando estou dormindo

Tou sonhando com você

(Wagner Tiso  &  Ronaldo Bastos)

Canta: Simone

Scorpions – Always Somewhere

Arrive at seven the place feels good
No time to call you today
Encores till eleven then Chinese food
Back to the hotel again

I call your number the line ain't free
I like to tell you come to me
A night without you seems like a lost dream
Love I can't tell you how I feel

Always somewhere
Miss you where I've been
I'll be back to love you again

Another morning another place
The only day off is far away
But every city has seen me in the end
And brings me to you again

Always somewhere
Miss you where I've been
I'll be back to love you again

[FECHAR JANELA]

Scorpions – Dust In The Wind

I close my eyes, only for a moment and the moment's gone. 
All my dreams pass before my eyes in curiosity. 
Dust in the wind. 
All they are is dust in the wind. 
Same old song. 
Just a drop of water in an endless sea. 
All we do crumbles to the ground, though we refuse to see. 
Dust in the wind. 
All we are is dust in the wind. 

Don't hang on, nothing lasts forever but the earth and sky. 
It slips away and all your money won't another minute buy. 
Dust in the wind. 
All we are is dust in the wind.
Dust in the wind.

Scorpions – Holiday

Let me take you far away
You'd like a holiday
Exchange the cold days for the sun
Good times and fun
Let me takes and fund
You'd like a holiday

Let me take you far away
You'd like a holiday
Exchange your troubles for some love
Wherever you are
Let me take you far away
You'd like a holiday

Longing for the sun you will come
To the island without name
Longing for the sun be welcome
On the island many miles away from home
Be welcome on the island without name
Longing for the sun you will come

Scorpions – Life Is Too Short

Have you ever seen the morning
When the sun comes up the shore
And the silence makes
A beautiful sound
Have you ever sat there waiting
For the time to stand still
For all the world to stop
From turning around

And you run
'Cause life is too short
And you run
'Cause life is too short

Have you ever seen the glowing
When the moon is on the rise
And the dreams are close
To the ones that we love
Have you ever sat there waiting
For heaven to give a sign
So we could find the place
Where angels come from

And you run
'Cause life is too short
And you run
'Cause life is too short
And you run
'Cause life is too short
And you run
'Cause life is too short

There's a time that turns
I'd turn back time
But I don't say I can
It only works if you believe in the truth
Well there's a time to live
And a time to cry
But if you're by my side
I will try to catch a star
I'll try to catch a star
Just for you

And I run
'Cause life is too short
And I run
'Cause life is too short
And I run
'Cause life is too short
And I run
'Cause life is too short

Too short
Too short
Life is too short

Too short
Too short
Life is too short

Scorpions – Love Of My Life

Love of my life
You've hurt me
You've broken my heart
And now you leave me
Love of my life
Can't you see
Bring it back, bring it back
Don't take it away from me
Because you don't know
What it means to me

Love of my life
Don't leave me
You've taken my heart
You now desert me
Love of my life
Can't you see
Bring it back, bring it back
Don't take it away from me
Because you don't know
What it means to me

You won't remember
When this is blown over
And everything's all by the way
When I get older
I will be there
At your side to remind you
How I still love you, I still love you

Back, bring it back
Don't take it away from me
Because you don't know
What it means to me
Love of my life
Love of my life

Scorpions – Send Me An Angel

the wise man said just walk this way
to the dawn of the light
the wind will blow into your face
as the years pass you by
hear this voice from deep inside
it's the call of your heart
close your eyes and you will find
the way out of the dark

here i am
will you send me an angel
here i am
in the land of the morning star

the wise man said just find your place
in the eye of the storm
seek the roses along the way
just beware of the thorns

here i am
will you send me an angel
here i am
in the land of the morning star

the wise man said just raise your hand
and reach out for the spell
find the door to the promised land
just believe in yourself
hear this voice from deep inside
it's the call of your heart
close your eyes and you will find
the way out of the dark

here i am
will you send me an angel
here i am
in the land of the morning star
here i am
will you send me an angel
here i am
in the land of the morning star

Scorpions – Send Me An Angel (tradução)
by Scorpions

SEND ME AN ANGEL

O homem prudente disse para caminhar só neste caminho
O amanhecer da luz
O vento irá soprar no seu rosto
Como os anos que se passaram
Ouça a voz de dentro
A chamada do seu coração
Feche seus olhos e você irá encontrar
O caminho das trevas

Aqui estou
Você me enviará um anjo?
Aqui estou
Na terra da estrela da manha

O homem prudente disse para achar seu lugar
Nos olhos da tempestade
Procure as rosas pelo caminho
Só tome cuidado com os  espinhos

Aqui estou
Você me enviará um anjo?
Aqui estou
Na terra da estrela da manha

O homem prudente disse apenas para  levantar suas mãos
E esticar  para o feitiço
Encontre a porta  da terra prometida
Só acredite em si mesma
Ouça a voz que vem de dentro
Ë a chamada de seu coração
Feche seus olhos e você irá encontrar
O caminho das trevas

Aqui estou
Você me enviará um anjo?
Aqui estou
Na terra da estrela da manha

Aqui estou
Você me enviará um anjo?
Aqui estou
Na terra da estrela da manha

Scorpions – Still Loving You

Time, it needs time
To win back your love again
I will be there, I will be there ...
Love, only love
Can bring back your love someday
I will be there, I will be there ...
Fight, baby I fight
To win back your love again
I will be there, I will be there ...
Love, only love
Can break down the walls someday
I will be there, I will be there.

If we'd go again all the way from the start
I would try to change things that killed our love
Your pride has built the wall so strong that I can't get
through!
Is there really no chance to start once again?
I'm loving you.

Try, baby try
To trust in my love again
I will be there, I will be there ...
Love our love
Just shouldn't be thrown away
I will be there, I will be there ...

If we'd go again all the way from the start
I would try to change things that killed our love
Your pride has built the wall so strong that I can't get
through!
Is there really no chance to start once again?

If we'd go again all the way from the start
I would try to change things that killed our love
Yes I hurt your pride and I know what you been through
You should give me a chance, this can't be the end

I'm still loving you ...
I'm still loving you ...
I'm still loving you ...
I'm still loving you ...

Still Loving You Baby

Scorpions – Still Loving You(tradução)

Tempo, é preciso de tempo...
Para reconquistar seu amor
E estarei lá
O amor, apenas o amor...
Algum dia poderá trazer de volta seu amor e estarei lá
Lutarei, garota, lutarei...
Para reconquistar seu amor
E estarei lá
O amor, apenas o amor.
Algum dia poderá acabar com as barreiras
E estarei lá
E se nós percorremos novamente
Todo o caminho, desde o início
Poderia tentar mudar
As coisas que acabaram com nosso amor
Seu orgulho construiu uma barreira, tão forte,
Que não consigo atravessar
E se não existe realmente uma chance
Para recomeçamos novamente
Pois estou te amando
Tente, garota, tente,
Confiar no meu amor novamente
E estarei lá o amor, o nosso amor,
Só não deveria ser desperdiçado
Assim estarei lá
Sim, feri o seu orgulho e sei,
O que você tem sofrido
Você deveria me dar uma chance
Isto não poderia ser o fim, pois,
Ainda te amo
E preciso do teu amor
Ainda te amo eu continuo te amando garota, oh!
Ainda te amo e preciso do teu amor.

Scorpions – Wind Of Change

I follow the Moskva
Down to Gorky Park
Listening to the wind of change
An August summer night
Soldiers passing by
Listening to the wind of change

The world is closing in
Did you ever think
That we could be so close, like brothers
The future's in the air
I can feel it everywhere
Blowing with the wind of change

[Chorus:]
Take me to the magic of the moment
On a glory night
Where the children of tomorrow dream away
In the wind of change

Walking down the street
Distant memories
Are buried in the past forever

I follow the Moskva
Down to Gorky Park
Listening to the wind of change

Take me to the magic of the moment
On a glory night
Where the children of tomorrow share their dreams
With you and me

Take me to the magic of the moment
On a glory night
Where the children of tomorrow dream away
In the wind of change

The wind of change blows straight
Into the face of time
Like a stormwind that will ring
The freedom bell for peace of mind
Let your balalaika sing
What my guitar wants to say

Take me to the magic of the moment
On a glory night
Where the children of tomorrow share their dreams
With you and me

Take me to the magic of the moment
On a glory night
Where the children of tomorrow dream away
In the wind of change

Scorpions – Wind Of Change-tradução
by Ju T.m.

Wind of change-tradução 

Vento de mudança 

Eu sigo o Moskva   
Até Parque de Gorki   
Escutando o vento de mudança   
Uma noite de verão de agosto   
Soldados que passam   
Escutando o vento de mudança   

O mundo está rodeando   
Sempre feito você pensa   
Que nós pudéssemos ser os irmãos tão íntimos, iguais   
O futuro é no ar   
Eu posso sentir isto em todos lugares   
Soprando com o vento de mudança   

[Coro:]   
Me leve à magia do momento   
Em uma noite de glória   
Onde as crianças de amanhã sonham fora   
No vento de mudança   

Caminhando rua abaixo   
Recordações distantes   
Sempre é enterrado no passado   

Eu sigo o Moskva   
Até Parque de Gorky   
Escutando o vento de mudança   

Me leve à magia do momento   
Em uma noite de glória   
Onde as crianças de amanhã partem os sonhos delas   
Com você e mim   

Me leve à magia do momento   
Em uma noite de glória   
Onde as crianças de amanhã sonham fora   
No Vento de mudança   

O vento de sopros de mudança diretamente   
Na face de tempo   
Como um vento de tempestade que tocará   
O sino de liberdade para paz de mente   
Deixe sua balalaica cantar   
O que meu violão quer dizer   

Leve-me à magia do momento   
Em uma noite de glória   
Onde as crianças de amanhã parte os sonhos delas   
Com você e mim   

Leve-me à magia do momento   
Em uma noite de glória   
Onde as crianças de amanhã sonham 
No Vento de mudança

Scorpions – You And I

I lose control because of you babe
I lose control when you look at me like this
There's something in your eyes that is saying tonight
I'm not a child anymore, life has opened the door
To a new exciting life

I lose control when I'm close to you babe
I lose control don't look at me like this
There's something in your eyes, is this love at first sight
Like a flower that grows, life just wants you to know
All the secrets of life

It's all written down in your lifelines
It's written down inside your heart

You and I just have a dream
To find our love a place, where we can hide away
You and I were just made
To love each other now, forever and a day

I lose control because of you babe
I lose control don't look at me like this
There's something in your eyes that is saying tonight
I'm so curious for more just like never before
In my innocent life

It's all written down in your lifelines
It's written down inside your heart

You and I just have a dream
To find our love a place, where we can hide away
You and I were just made
To love each other now, forever and a day

Time stands still when the days of innocence
Are falling for the night
I love you girl I always will
I swear I'm there for you
Till the day I die

You and I just have a dream
To find our love a place, where we can hide away
You and I were just made
To love each other now, forever and a day

Roupa Nova – À Flor Da Pele

Juro que até pensei 
Que o tempo fosse acalmar meu coração 
Mesmo longe de você minha emoção 
Fica à flor da pele 

Juro que até chorei 
Não sei por quanto tempo fiquei sem entender 
Que essa coisa que dá medo: a paixão 
Fica à flor da pele 

Eu não consigo imaginar, nem me ver 
Mais um minuto sem você 

Ninguém merece solidão 
Fala pro teu coração 
Lágrima é chuva de verão 
Que vai e vem

Ponto de Partida

Sérgio Ricardo

Composição: Sérgio Ricardo

Não tenho para a cabeça
Somente o verso brejeiro
Rimo no chão da senzala
Quilombo com cativeiro, olerê
Não tenho para o coração
Somente o ar da montanha
Tenho a planície espinheira
Com mão de sangue, façanha, olerê, olará
Não tenho para o ouvido
Somente o rumor do vento
Tenho gemidos e preces
Rompantes e contratempo, olerê, olará, olerê, lará

Tenho pra minha vida
A busca como medida
O encontro como chegada
E como ponto de partida

Não tenho para o meu olho
Apenas o sol nascente
Tenho a mim mesmo no espelho
Dos olhos de toda gente, olerê
Não tenho para o meu nariz
Somente incenso ou aroma
Tenho este mundo matadouro
De peixe, boi, ave, homem, olerê, olará
Não tenho pra minha boca
Sagrados pães tão somente
Tenho vogal, consoante
Uma palavra entre dente, olerê, olará, olerê, lará

Tenho pra minha vida
A busca como medida
O encontro como chegada
E como ponto de partida

Não tenho para o meu braço
Apenas o corpo amado
E assim sendo o descruzo na rédea
No remo e no fardo, olerê
Não tenho para a minha a mão
Somente acenos e palmas
Tenho gatilhos e tambores
Teclados, cordas e calos, olerê, olará
Não tenho para o meu pé
Somente o rumo traçado
Tenho improviso no passo
E caminho pra todo lado, olerê, olará, olerê, lará

Tenho pra minha vida
A busca como medida
O encontro como chegada
E como ponto de partida.

Phil Collins – You’ll Be In My Heart (tradução)
Vamos, pare de chorar 
Tudo vai dar certo 
Apenas pegue minha mão 
Segure forte 
Eu te protegerei 
De tudo ao seu redor 
Eu estarei aqui 
Não chore 

Para alguém tão frágil 
Você parece tão forte 
Meus braços te abraçarão 
Manterão você segura e aquecida 
Este laço entre nós 
Não pode ser quebrado 
Estarei aqui 
Não chore 

Porque você estará em meu coração 
Sim. você estará em meu coração 
De hoje em diante 
Agora e para sempre 
Você estará em meu coração 
Não importa o que disserem 
Você estará aqui em meu coração, sempre 

Por que eles não conseguem entender 
A forma como nos sentimos 
Eles simplesmente não acreditam 
Naquilo que não conseguem explicar 
Eu sei que somos diferentes mas, 
Dentro de nós 
Não somos tão diferentes assim 

E você estará em meu coração 
Sim, você estará em meu coração 
De hoje em diante 
Agora e para sempre 
Não dê ouvidos ao que dizem 
porque, o que eles sabem? 
Nós precisamos um do outro 
Ter um ao outro, abraçar 
Eles verão com o tempo 
Eu sei 

Quando o destino te chama 
Você precisa ser forte 
Eu poderei não estar com você 
Mas você terá que continuar 
Eles verão com o tempo 
Eu sei 
Nós mostraremos a eles juntos 

Porque você estará em meu coração 
Sim, você estará em meu coração 
De hoje em diante 
Agora e para sempre 
Oh, você estará em meu coração 
Não importa o que dizem 
Você estará em meu coração, sempre 
Sempre...
Phil Collins – You’ll Be In My Heart
Come stop your crying
It'll be alright
Just take my hand
Hold it tight
I will protect you
From all around you
I will be here
Don't you cry

For one so small
You seem so strong
My arms will hold you
Keep you safe and warm
This bond between us
Can't be broken
I will be here don't you cry

Cause you'll be in my heart
Yes, you'll be in my heart
From this day on
Now and forever more
You'll be in my heart
No matter what they say
You'll be here in my heart
Always

Why can't they understand
the way we feel
They just don't trust
What they can't explain
I know we're different
But deep inside us
We're not that different at all

And you'll be in my heart
Yes, you'll be in my heart
From this day on
Now and forever more

Don't listen to them
Cause what do they know?
We need each other
To have, to hold
They'll see in time
I know

When destiny calls you
You must be strong
I may not be with you
But you've got to hold on
They'll see in time
I know
We'll show them together

Cause you'll be in my heart
Believe me, you'll be in my heart
I'll be there from this day on
Now and forever more
Oooo, you'll be in my heart
You'll be here in my heart
No matter what they say
I'll be with you
You'll be here in my heart
I'll be there always
Always
I'll be with you
I'll be there for you always
Always and always
Just look over your shoulder
Just look over your shoulder
Just look over your shoulder
I'll be there always
Phil Collins – Against All Odds
Não disponível
How can I just let you walk away?
Just let you leave without a trace?
When I stand here taking every breath with you, ohoo
You're the only one who really knew me at all
How can you just walk away from me?
When all I can do is watch you leave?
Cuz we shared the laughter and the pain
and even shared the tears
You're the only one who really knew me at all

Chorus:
So take a look at me now
Cause there's just an empty space
And there's nothin left here to remind me
Just the memory of your face
Take a look at me now
Cuz there's just an empty space
And you comin back to me is against all odds
and that's what I've gotta face, ohoo

I wish I could just make you turn around
Turn around and see me cry
There's so much I need to say to you,
So many reasons why
You're the only one who really knew me at all

Chorus
So take a look at me now
cuz there's just an empty space
And there's nothin left here to remind me
just the memory of your face
Take a look at me now
Cus there's just an empty space
But to wait for you, well that's all I can do
and that's what I gotta face

Take a good look at me now
I'll still be standing here
And you comming back to me is against all odds
It's a chance I have to take; ohoo

End
Just take a look at me now
Phil Collins – Against All Odds (tradução)
"Parece muito improvável"

como eu posso te deixar ir?
deixar você ir sem deixar rastro?
quando eu fico aqui tomando folego com você, olho
você é a unica que realmente me conhecia de verdade
como eu posso te deixar ir embora pra longe de mim?
quando tudo que eu posso fazer é ver você partir
porque nós compartilhamos as risadas e a dor
e até dividimos as lágrimas
você é a unica que realmente me conhecia de verdade

Refrão:
então, dê uma olhada para mim agora
porque há apenas um espaço vazio
e não resta nada para me lembrar
apenas a lembrança do seu rosto
dê uma olhada para mim agora
porque há apenas um espaço vazio
e você voltar para mim parece muito improvável
e é isso que eu tenho que encarar 

eu queria poder fazer você se virar
se virar e me ver chorar
tem tanta coisa que eu preciso te dizer
tantas razões por quê
você é a unica que realmente me conhecia de verdade

Refrão

dê uma boa olhada pra mim
eu vou continuar aqui
e você voltar pra mim parece muito improvável
é um risco que eu tenho que correr
apenas dê uma olhada em mim agora

apenas dê uma olhada em mim agora

Traduzido por C.L.
Phil Collins – Another Day In Paradise
Phill Collins
SHE CALLS OUT TO THE MAN ON THE STREET
"SIR, CAN YOU HELP ME?
IT´S COLD AND I´VE NOWHERE TO SLEEP
IS THERE SOMEWHERE YOU CAN TELL ME?"

HE WALKS ON, DOESN´T LOOK BACK
HE PRETENDS HE CAN´T HEAR HER
STARTS TO WHISTLE AS HE CROSSES THE STREET
SEEMS EMBARRASED TO BE THERE

OH, THINK TWICE
CAUSE IT´S JUST ANOTHER DAY FOR YOU 'M ME IN PARADISE
OH, THINK TWICE
CAUSE IT´S JUST ANOTHER DAY FOR YOU
YOU AND ME IN PARADISE

THINK ABOUT IT

SHE CALLS OUT TO THE MAN ON THE STREET
HE CAN SEE SHE´S BEEN CRYING
SHE´S GOT BLISTERS ON THE SOLES OF HER FEET
SHE CAN´T WALK BUT SHE´S TRYING

OH, THINK TWICE...

JUST THINK ABOUT IT

OH, LORD, IS THERE NOTHING MORE ANYBODY CAN DO?
OH, LORD, THERE MUST BE SOMETHING YOU CAN SAY

YOU CAN TELL FROM THE LINES ON HER FACE
YOU CAN SEE THAT SHE´S BEEN THERE
PROBABLY BEEN MOVED ON FROM EVERY PLACE
´CAUSE SHE DIDN´T FIT IN THERE

OH, THINK TWICE...

IT´S JUST ANOTHER DAY
FOR YOU AND ME IN PARADISE
Phil Collins – Another Day In Paradise (tradução)
Phill Collins
By P!NKada

Phil Collins - Another Day In Paradise
outro dia no paraíso

ela chama pelo homem na rua
"senhor, você pode me ajudar?".
esta frio e eu não tenho lugar pra dormir
você sabe de algum lugar onde eu possa ir?"

ele continua andando, não olha pra trás
ele finge que não pode escuta-la
começa a assobiar enquanto atravessa a rua
parece constrangido por estar lá

OH, pense duas vezes
porque isso é apenas outro dia pra você e pra mim no
paraíso
OH, pense duas vezes
porque isso é apenas outro dia pra você
você e eu no paraíso

pense sobre isso

ela chama pelo homem na rua
ele pode ver que ela esteve chorando
ela tem bolhas na sola dos pés
ela não consegue andar mas está tentando

OH, pense duas vezes...

apenas pense sobre isso

OH, Deus, Não ha nada mais que alguém possa fazer?
OH, Deus, deve ter alguma coisa que você possa dizer

você pode dizer pelas marcas no seu rosto
você pode ver que ela esteve lá
provavelmente esteve andando em todo lugar
porque ela não se acostumou lá

OH, pense duas vezes...

isso é apenas outro dia
pra você e eu no paraíso
Phil Collins – Do You Remember? (tradução)
P!NKada
Phil Collins - você lembra?

Nós nunca conversamos sobre isso mas eu escuto que a
culpa foi minha
Eu ia te telefonar para pedir desculpas,
Mas eu não queria desperdiçar seu tempo
Porque eu te amo, mas eu não aguento mais
Voçê tem um olhar que eu não consigo descrever
Se nós pudessemos tentar como tentamos antes
Você continuaria me dizendo aquelas mentiras?
Você lembra?

Parecia que não tinha jeito de fazer as pazes, 
Porque parecia que você já tinha tomado a decisão
E o jeito que você olhou me disse,
É um olhar que eu sei que nunca vou esquecer
Você podia ter vindo pro meu lado,
Você podia ter me deixado saber
Você podia ter tentado ver a distancia entre nós
Mas parecia muito longe para você ir
Você lembra?

Em toda a minha vida,
A despeito de toda a dor
Você sabe que as pessoas são esquisitas as vezes,
Porque eles não esperam se machucar de novo,
Me diga você lembra?

Tem coisas que nós não vamos recordar,
E sentimentos que nunca iremos encontrar
Está demorando tanto para ver isso,
Porque nós nunca parecemos ter tempo
Tinha sempre algo mais importante para fazer,
Mais importante para falar
Mas "eu te amo" não era uma dessas coisas,
E agora é muito tarde
Você lembra?

YOLANDA

(Pablo Milanés)

ESTO NO PUEDE SER NO MÁS QUE UNA CANCIÓN;

QUISIERA FUERA UNA DECLARACIÓN DE AMOR,

ROMÁNTICA, SIN REPARAR EN FORMAS TALES

QUE PONGAN FRENO A LO QUE SIENTO AHORA A RAUDALES.

TE AMO,

TE AMO,

ETERNAMENTE, TE AMO.

SI ME FALTARAS, NO VOY A MORIRME;

SI HE DE MORIR, QUIERO QUE SEA CONTIGO.

MI SOLEDAD SE SIENTE ACOMPAÑADA,

POR ESO A VECES SÉ QUE NECESITO

TU MANO,

TU MANO,

ETERNAMENTE, TU MANO.

CUANDO TE VI SABÍA QUE ERA CIERTO

ESTE TEMOR DE HALLARME DESCUBIERTO.

TÚ ME DESNUDAS CON SIETE RAZONES,

ME ABRES EL PECHO SIEMPRE QUE ME COLMAS

DE AMORES,

DE AMORES,

ETERNAMENTE, DE AMORES.

SI ALGUNA VEZ ME SIENTO DERROTADO

RENUNCIO A VER EL SOL CADA MAÑANA;

REZANDO EL CREDO QUE ME HAS ENSEÑADO,

MIRO TU CARA Y DIGO EN LA VENTANA:

YOLANDA,

YOLANDA,

ETERNAMENTE, YOLANDA.

Palmares

Sérgio Ricardo

Composição: Capinan / Sérgio Ricardo

Eu tava no ouro Camará
Me levaram pra cana Camará
Quando o mel tava doce Camará
Me levaram pro açoite

Dor escura como a noite Camará
Eu estava na cama Camará
Me levaram pro pilão Camará
Eu estava no mar

Me levaram pro sertão Camará
Me puseram no algodão Camará
Quando a flor tava branca Camará
me puseram uma canga

E agora, meu camará
Andar andei esperando achar
Eu não sou planta que se arranca
E que se põe em qualquer lugar

Depois que eu vim de Luanda
Andar andei, esperando achar
Onde estará Palmares
Será que jamais encontro o meu lugar?

Valei-me meu pai Xangô
Será que já chegou
Oxalá
Sendo de demanda, dê
Sendo de ser com zanga,
As asas

Peninha – Adoro Amar Você
by Peninha

Tá no meu paladar
Tá no meu olhar, olhando
Seu amor meu amor
Fica latejando em mim
Tá no meu coração
Na luz do luar, luando
Fui me entregando
Dessa vez me pegou
Nunca foi tão bom assim
Quando não tô legal
Se estou mal eu te chamo
Quando me sinto em paz
Eu te amo, te amo
Tô afim de ficar com você
Mais uns 200 anos
Venha cá menina
Vem dizer que me ama
Na vida, na morte, na dor e na cama
O meu corpo precisa do seu
E a minha alma te chama
Ah! Eu adoro amar você
Como eu te quero e eu jamais quis
Você me faz sonhar, me faz realizar
Me faz crescer, me faz feliz
O amor que existe entre nós dois
É tudo que eu sonhei prá mim
É mais do que paixão, é mais do que prazer
Amor que não tem fim

Peninha – Vou ganhar você
by Peninha

Quando você chega,
ilumina tudo, 
todo mundo pode ver,
você tem um charme,
uma luz tão forte,
faz a gente enlouquecer,
quando você ri pra mim,
se me toca sem querer,
sinto tudo o que sou tremer,
quando você precisar fugir da solidão 
sou absolutamente seu,
o que vou te dar de amor 
você nunca recebeu,
quando a gente abre de verdade o coracao 
tudo tudo pode acontecer,
na primeira chance que eu tiver vou ganhar você

refrão:
Quando você ri pra mim e me esbarra sem querer,
sinto tudo o que sou tremer,
quando você precisar fugir da solidão 
sou absolutamente seu,
o que vou te dar de amor você nunca recebeu,
quando a gente abre de verdade o coracao tudo,
tudo pode acontecer,
na primeira chance que eu tiver vou ganhar você

Não É Pouco Não

Flavio Leandro

Composição: Flávio Leandro / Danísio Leandro/ Vanvan Jorge
Dizem que o amor meu beija-flor
É traiçoeiro
E eu brinquei de amar meu beija-flor
O tempo inteiro

Nas asas de um vento leve
Me leve, meu querubim
Carregue pra longe a saudade
E a felicidade traga pra mim

Adoro ver teu sorriso
Preciso do teu querer
Espero que chegue agora
Eu não vejo a hora de te dizer:

To gostando de você e não é pouco não
To gostando de você e não é pouco
To gostando de você e não é pouco não
To gostando de você, dona do meu coração

Blues da piedade

CAZUZA & FREJAT

Agora eu vou cantar pros miseráveis / Que vagam pelo mundo derrotados / Pra essas sementes mal plantadas / Que já nascem com cara de abortadas / Pra pessoas de alma bem pequena / Remoendo pequenos problemas/ Querendo sempre aquilo que não têm/ Pra quem vê a luz / Mas não ilumina suas mini-incertezas/ Vivendo contando dinheiro / E não muda quando é lua cheia / Pra quem não sabe amar / Fica esperando alguém que caiba no seu sonho/ Como varizes que vão aumentando / Como insetos em volta da lâmpada / Vamos pedir piedade / Senhor, piedade / Pra essa gente careta e covarde/ Vamos pedir piedade/ Senhor, piedade / lhes dê grandeza e um pouco de coragem/ Quero cantar só pras pessoas fracas / Que estão no mundo e perderam a viagem / Quero cantar os blues / Com o pastor e o bumbo na praça / Vamos pedir piedade/ Pois há um incêndio sobre a chuva rala / Somos iguais em desgraça / Vamos cantar /o blues da piedade/ Vamos pedir piedade…

PAIXÃO

Amo tua voz e tua cor

E teu jeito de fazer amor

Revirando os olhos e o tapete

Suspirando em falsete

Coisas que eu nem sei contar

Ser feliz é tudo que se quer

Ah! Esse maldito fecheclear

De repente a gente rasga a roupa

E uma febre muito louca

Faz o corpo arrepiar

Depois do terceiro ou quarto copo

Tudo que vier eu topo

Tudo que vier veio bem

Quando bebo perco o juízo

Não me responsabilizo

Nem por mim

Nem por ninguém

Não quero ficar na tua vida

Como uma paixão mal resolvida

Dessas que a gente tem ciúme

E se encharca de perfume

Faz que tenta se matar

Vou ficar até o fim do dia

Decorando sua geografia

E essa aventura

Em carne e osso

Deixa marcas no pescoço

Faz a gente levitar

Tens um não sei quê

De paraíso

E o corpo mais preciso

Que o mais lindo dos mortais

Tens uma beleza infinita

E a boca mais bonita

Que a minha já tocou.

(Kleiton & Kledir)

GALOPE

Tava eu mirando a lua

Veio a moça a me olhar

Perguntei se era nova

Não custou me apaixonar

No cavalo de São Jorge

A mulher a galopar

Sete léguas de paixão

Sem parar de suspirar

Tava tocando viola

Num galope à beira-mar

Ai, ai, ai, é bom que dói

Ui , ui, ui, chega a sangrar

Gemedeira é que nem beijo

Começou custa a parar

Ela olhou pediu um xote

Pra gemer bastou te amar

VIRADA

O que adianta eu trabalhar demais

Se o que ganho é pouco

Se cada dia eu vou mais pra trás

Dessa vida levando soco

E quem tem muito tá querendo mais

E quem não tem tá num sufoco.

VAMOS LÁ RAPAZIADA

TÁ NA HORA DA VIRADA

VAMOS DAR O TROCO

Vamos botar lenha nesse fogo

Vamos virar esse jogo

Que é jogo de carta marcada

O nosso time não está no degredo

Vamos à luta sem medo

É hora do tudo ou nada.

O MENINO DA PORTEIRA

1

Toda vez que viajava pela estrada de

Ouro Fino, de longe eu avistava a figura

de um menino, que corria abrir a porteira,

depois ia me pedindo. Toque o berrante,

seu moço, que é pra eu ficar ouvindo.

Quando a boiada passava e a poeira ia abaixando

eu jogava uma moeda e ele saia pulando.

Obrigado, boiadeiro, que Deus vá lhe

acompanhando, pra aquele sertão afora

meu berrante ia tocando.

2

Nos caminhos desta vida muitos espinhos

encontrei, mas nenhum calou mais fundo do

que este que eu passei; na minha viagem de volta

qualquer coisa eu cismei vendo a porteira

fechada o menino não avistei. Apiei do meu

cavalo num ranchinho beira-chão; vi uma mulher

chorando quis saber qual a razão.  Boiadeiro,

veio tarde, veja a cruz no estradão quem

matou o meu filhinho foi um boi sem coração.

3

Lá pras bandas de Ouro Fino levando o gado

selvagem até quando passo na porteira até vejo a sua

imagem. Esse rangido tão triste até parece

uma mensagem daquele rosto trigueiro desejando-me

boa viagem. A cruzinha do estradão do

pensamento não sai. Até fiz um juramento que

não esqueço jamais: nem que o meu gado estoure

eu precise ir atrás, nesse pedaço de

chão berrante não toco mais

AMOR NO CORAÇÃO

QUEM VIVER VERÁ

QUE NÃO FOI EM VÃO

EU QUERO É MUITO AMOR

NO CORAÇÃO

1

Meu samba

Não tem dose certa,

É um grito de alerta,

Mensagem do nosso povo.

É, ô, pois é, uma palavra de amor

Quem não se apaga com a dor

Acende um sorriso novo.

2

No coração festeiro,

Verdadeiro, brasileiro

Se faz a esperança

Em todas as crianças,

Os herdeiros

De nossas raízes,

Dos dias felizes

Que temos pra dar.

O que é semeado

No nosso roçado,

Se quiser vai plantar.

Chega de me dá, me dá

Agora é o toma lá dá cá

3

Vai ecoar

Nos quatros cantos da terra

Nosso brado de guerra

Contra o fantasma da opressão

Simples como a gota no oceano

Trago do cotidiano

Trincheiras

Contra a invasão.

VIDA VIOLA

1

Mandei buscar uma viola que quizesse

Estudar comigo um verso

Afiar o meu cantar

E que me desse um encanto de uma rima

Um dueto com uma prima

Pra que eu fosse um cantador

Mandei buscar também por meio da viola

Escuridão de lua nova

Pra esconder todo penar

E uma estrela que fosse do setestrelo

Prá saber do meu segredo

E lá no céu poder contar

VIOLA, VIOLA, VIOLA, DÁ UM TOM

PRA DIZER MEU SOFRER

VIOLA FACEIRA VIOLA

NAMORA E ME CHORA COM TROVAS DE AMOR

2

Minha vida quero tua companhia

Pra fazer a travessia desse mundo de ilusão

Se me ajudar eu vou falar

Aos quatro ventos que eu tenho

Meu tormento e que sou um cantador.

DESESPERAR JAMAIS

Desesperar jamais

Aprendemos muito nesses anos

Afinal de contas não tem cabimento

Entregar o jogo no primeiro tempo

Nada de correr da raia

Nada de morrer na praia

Nada, nada, de esquecer

No balanço de perdas e danos

Já tivemos muitos desenganos

Já tivemos muitos que esperar

Mas agora acho que chegou a hora

De fazer valer o dito popular

Desesperar jamais

Cutucou por baixo o de cima cai

Desesperar jamais

Cutucou com jeito

Não levanta mais.

FICA MAL COM DEUS

Fica mal com Deus / quem não sabe dar

fica mal comigo quem não sabe amar.

Pelo meu caminho vou / vou como quem vai chegar / quem quiser comigo ir / tem que vir do amor / tem que ter pra dar.

Vida que não tem valor / homem que não sabe dar / Deus que se descuide dele / o jeito a gente ajeita / dele se acabar.

PAU-DE-ARARA

Quando eu vim do sertão

Seu moço, do meu Bodocó

A maleta era o saco

E o cadeado era o nó

Só trazia a coragem e a cara

Viajando no Pau-de-arara

Eu penei, mas aqui cheguei   ( 2 x )

Trouxe o triângulo

No matulão ( coro )

Trouxe a zabumba ( coro )

Trouxe a saudade dentro do matulão

Xote, maracatu e baião

Tudo isso eu trouxe

No meu matulão.

Abençoai as hienas,

Principalmente as morenas

Tri-campeãs mundiais

Pois desse lado do beco

O olhar é tão seco, meu pai

Que só piedade de nós

Não vale a pena  ( bis)

Oração não voga

Quando não há vaga

Coração não roga

Quando só há raiva

e a roupa do couro

três vezes ao dia

Novena não paga

Ao dono da venda

Não adianta nada,

Não enche barriga

Subir de joelhos

As escadarias

Abençoai as hienas

Principalmente as da Silva

Campeãs de Carnavais

Pois desse lado do muro

O jogo é tão duro, meu pai,

Que só piedade de nós não vale a pena.

FICA COM A GENTE

As sombras vão se abrindo

quando a noite cai

e vão surgindo tantas luzes

de um dia que jamais há de se apagar,

de um dia que há de começar sempre

porque sabemos que uma nova vida

aqui nascida ninguém mais cancelará.

Se Tu vais agora anoitecerá.

Se Tu vais embora,

Senhor, o que será?!

Se Tu vais agora anoitecerá,

mas se permaneces

a noite não virá!

Como o mar se espraia

infinitamente,

o vento soprará e abrirá

os caminhos escondidos.

Tantos corações hão de ver uma nova luz clara

como uma chama que onde passa queima o Teu

amor todo mundo invadirá.

Se Tu vais agora…

A humanidade luta, sofre, espera,

é terra seca e no céu

não há nuvens, mas a vida não lhe faltará

e a esperança brilhará para sempre.

Contigo, unidos,

Oh! Fonte de Água Viva,

Tua presença o deserto acabará.

Se Tu vais agora…

ASSUM PRETO –  ( Luiz Gonzaga)

1

Tudo em volta é só beleza

Céu de abril e a mata em flor,

Mas Assum Preto cego dos oios

Não vendo a luz, aí, canta de dor.  (  Bis )

2

Talvez por ignorância ou maldade das pio

Furaram os oios do Assum Preto

Pra ele assim, aí, cantar melhor.   (  Bis )

3

Assum Preto vive ssorto

Mas não pode avuá

Mil vezes a sina de uma gaiola

Desde que o céu, aí pudesse oiá.   (  Bis )

4

Assum Preto meu cantar é tão triste como o teu.

Também roubaram o meu amor

Que era luz, aí, dos oios meu.      (  Bis )

EU QUERO VER ( SONHO) – (Zé Vicente – CE)

EU QUERO VER, EU QUERO VER ACONTECER

UM SONHO BOM, SONHO DE MUITOS, ACONTECER.

1

Nascendo da noite escura / A manhã futura trazendo amor /

No vento da madrugada / A paz tão sonhada brotando em flor

Nos braços da estrela guia / A alegria chegando da dor.

2

Na sombra verde florida / Crianças em vida brincando de

Irmãos  / No roso da juventude sorriso e virtude virando

canção / Alegre e feliz camponês /  Entrando de vez  na

posse do chão.

3

Um sorriso em cada rosto / Uma flor em cada mão /

A certeza na estrada / O amor no coração / E uma semente

nova escondida / Em cada palmo deste chão.

4

Sonho que se sonha só / Pode ser pura ilusão /

Sonho que se sonha juntos / É sinal de solução /

Então, vamos, companheiro

Sonhar ligeiro,

SONHAR EM MUTIRÃO!

VIOLA – Movimento Negro ( São Luís – MA)

- Eu vou tocar minha viola / Eu sou um negro cantador

O negro canta, deita e rola / Lá na senzala do senhor…

Ô bota fogo no engenho / Aonde o negro apanhou.

DANÇA AÍ NEGRO NAGÔ    ( 4  vezes)

- Tem que acabar com essa história /Que o negro é inferior

O negro é gente e quer escola/ Quer dançar samba e  ser

doutor …

- O negro mora em palafita / Não é culpa dele não, senhor

A culpa é da abolição / Que veio e não libertou…

LUAR DO SERTÃO

NÃO, HÁ, Ó GENTE, ÓH NÃO

LUAR COMO ESTE DO SERTÃO.  ( Bis)

1

Oh!  que saudade do luar da minha terra

Lá na serra prateando folhas secas pelo chão,

Este luar cá da cidade, tão escuro,

Não tem aquela saudade do luar lá do sertão.

2

Se a lua nasce por detrás da verde mata

Mas parece um sol de prata prateando a solidão,

A gente pega na viola que ponteia

E a canção é a lua cheia; a nos nascer no coração.

3

Coisa mais bela neste mundo não existe

Do que ouvir-se um galo triste no sertão, se faz  luar.

Parece até que a alma da lua que descanta

Escondeu-se na garganta desse galo a soluçar!

4

A gente fria desta terra sem poesia

Não faz caso desta lua nem se importa com o luar

Enquanto a onça lá na verde capoeira

Leva uma hora inteira vendo a lua, a meditar!

5

Ai, quem me dera que eu morresse lá na serra

Abraçado à minha terra e dormindo de uma vez.

Ser enterrado numa cova pequenina

Onde à tarde a suçurina chora a sua viuvez!

VEJA MARGARIDA

(GERALDO AZEVEDO)

Veja você

Arco-íris já mudou de cor

Uma rosa nunca mais desabrochou

E eu não quero ver você

Com esse gosto de sabão na boca

Arco-íris já mudou de cor

Uma rosa nunca mais desabrochou

E eu não quero ver você

Veja meu bem

Gasolina já subiu de preço

E eu não quero nunca mais seu endereço

É o começo do fim

Ou é o fim

Eu vou partir

Pra cidade garantida, proibida

Arranjar meio–de-vida  Margarida

Pra você gostar de mim

Essas feridas da vida Margarida

Essas feridas da vida

Amarga vida

Pra você gostar de mim.

CANÇÕES  E  MOMENTOS

(Milton Nascimento & Fernando Brant)

Há canções e há momentos

Eu não sei como explicar

Em que a voz é um instrumento

Que eu não posso controlar

Ela vai ao infinito

Ela amarra todos nós

E é um só sentimento

Na platéia e na voz

Há canções e há momentos

Em que a voz vem da raiz

Eu não sei se é quando triste

Ou se quando sou feliz

Eu só sei que há momento

Que se casa com razão

De fazer tal casamento

Viva a minha profissão.

CANÇÃO DA AMÉRICA

( Milton Nascimento & Fernando Brant)

Amigo é coisa pra se guardar

Debaixo de sete chaves

Dentro do coração

Assim falava a canção

Que na América ouvi

Mas quem cantava chorou

Ao ver seu amigo partir

Mas quem ficou, no pensamento voou

Com seu canto que o outro lembrou

E quem voou, no pensamento ficou

Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa pra se guardar

No lado esquerdo do peito

Mesmo que o tempo e a distância digam não

Mesmo esquecendo a canção

O que importa é ouvir

A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier

Qualquer dia, amigo, eu volto

A te encontrar

Qualquer dia amigo agente vai se encontrar.

TERCEIRO MILÊNIO

Quando o último adeus desse milênio

Despedir-se de toda humanidade

Descerá uma grande novidade

Entre átomos, rios, hidrogênio

Nascerá desse todo um grande gênio

Com enorme cultura diferente

Ensinando pra todos claramente

O porque de uma causa ter efeito

Estará nosso globo desse jeito

Do Terceiro Milênio para a frente

Podem crer que daqui a uns cem anos

Automóveis não queimam gasolina

Não há mais reatores, nem turbinas

Provocando ruídos desumanos

Nesse tempo os norte-americanos, é

Quem pedirão o dinheiro para gente

Nós faremos com eles prontamente

Tudo quanto conosco eles têm feito

Estará nosso globo desse jeito

Do Terceiro…

Em Dois mil e quinhentos mais ou menos

Há mudança geral em toda parte

Os humanos escrevem para Marte

Pegam táxi aéreo para Vênus

Já os grandes não zombam dos pequenos

Porque o mundo só terá um presidente

Que vai unir ocidente e oriente

Sem senado, sem câmara, sem prefeito

Estará…   ( 2 x  ).

CANTO PARA O SENEGAL

A grandeza do negro se deu quando houve este grito infinito

E o muçulmanismo que contagiava como religião

Ilê-Aiyê traz imensas verdades ao povo fulani

Senegal faz fronteira com Mauritânia e Malí

O seres  ê ê ê, a tribo primeira que simbolizava

Salum, Gâmbia, Casamanle, seus rios a desembocar,

Mandigo, Tukuler, Volof, são os povos negros

E uma das capitais mais lindas, hoje se chama Dakar, Ilê

Ilê  ê ê ê, Dakar  á á á, obatalá, agô, i ê ê ê…

Esses são os meus sentimentos do antepassado

Senegal, narrando como tema Ilê aiyê

Sene, Sene, Sene, Sene, Senegal  –     REPETE  2  X

Diz povão Senegal região                               Bis

Ê ahê, ahê,á,iá, iê                                            Bis

Baol reino de lá                                               Bis

Hamba – Kalo, povo de Dakar

Negros Ilê – Aiyê avançam pelas ruas centrais da cidade

Senegalescas mulheres, vaidosas mostrando intensidade

Incorporadas na dança frenética do carnaval

Caolak, Rufisque  Zinguichor, são as cidades do Senegal

Ilê-aiyê  ê ê ê… está nos torsos, nas indumentárias  africanas

Lingüisticamente o francês na dialética união bahiana

Baobás árvores símbolo da nação

Dos Deniankes, os Berberes, dinastia da região, Ilê…

Ilê, ê ê ê, Dakar, á á á, Obatalá, ago, ê ê ê …

Esses são os meus sentimentos do antepassado,

Senegal narrado como tema Ilê-Aiyê.

FILHOS DE GANDHI

(Clara Nunes)

Filhos de Gandhi, Badauê

Ilê, ayê, Malês, Bauê, Ogum, Oba

Tem um mistério,que bate no coração

Força de uma canção que tem o dom de encantar           Bis

Seu brilho parece, um sol derramado

Um céu prateado, um mar de estrelas

Revela a certeza de um povo sofrido

De rara beleza que vive cantando, profunda grandeza

A sua riqueza vem lá do passado, lá do Congado

Eu tenho certeza

Filhos de Gandhi                                BIS

Ê povo grande

Ouulabê, catendê, baba, obá

Netos de Gandhi, povo de Zambi

Traz pra você um novo som ijexá !

“O SOL BRILHOU NO ILLÊ – AYÊ (Clara Nunes)

O Sol brilhou no Ilê – ayê, e um lamento ao vento me fez cantar

Toda essa nação Male, vem para o terreiro festejar  (Bis)

E a força do povo é seu canto iê , ilê- ayê

O brilho do povo é poder dançar, ijexá                        (Bis)

Á,Á,Á

Palmas ecoam num brilho de rara beleza, Ilê-ayê

No movimento do corpo, profunda riqueza, Ilê –ayê

Nos braços de mãe-Oxum, com as bênçãos de Oxalá

Pode cantar, Á,Á,Á,Á,Á,Á

Ô,Ô,Ô     IÔ, IÔ,IÔ         IÔ, IÔ,IÔ     IÔ, IÔ,IÔ        (Bis)

MADAGASCAR OLODUM

(Rey Zulu)

Criaram-se vários reinados

O povo de Imerwas ficou consagrado

Rambosalama o vetor saudável, Ivato cidade sagrada

A rainha Ranavalona, destaca-se na vida e na mocidade

Majestosa negra, soberana da sociedade

Alienado pelos seus poderes, rei Radama foi considerado

Um verdadeiro meiji, que levava seu reino a bailar

Bantos, indonésios, árabes, se integram à cultura malgaxe

Raça varonil, alastrando-se pelo Brasil

Sankara, Vatholay, faz deslumbrar toda nação

Merinas povos tradição, e os mazimbas foram vencidos

Pela invenção

Iê  ê ê ê  Sakalavas Onaê                     (Bis)

Ia, a a a Sakalavas Ouaa

Madagascar, ilha, ilha do amor

E, viva pelo pelourinho, patrimônio da humanidade

É pelourinho, pelourinho, palco da vida e negras verdades

Protestos, manifestações, faz o Olodum contra o apartheid

Juntamente com Madagascar

Invocando igualdade, liberdade a reinar

I ê ê ê    Sakalavas  Onaê                  ( Bis)

I a a a   Sakalavas  Onaa

Madagascar, ilha do amor                (Bis)

Ayê  ê ê Madagascar Olodum

Ayê eu sou o arco-íris de Madagascar

E eu disse Ayê

Ayê  ê ê Madagascar Olodum

Ayê eu sou o arco-íris de Madagascar

I ê ê ê    Sakalavas  Onaê

I a a a   Sakalavas  Onaa.

Para não dizer que não falei das flores.

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção.

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer.

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo os canhões.

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Antigas lições
De morrer pela pátria
E viver sem razão.
Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição.

Canto das três raças

Ninguém ouviu

Um soluçar de dor

No canto do Brasil

Um lançamento triste sempre ecoou

Desde que o índio guerreiro

Foi pro cativeiro

E de lá cantou.

Negro entoou

Um canto de revolta pelos ares

Do Quilombo dos Palmares

Onde se Refugiou.

Fora a luta dos inconfidentes

Pela quebra as correntes

Nada adiantou

E de guerra em paz

De paz em guerra

Todo povo dessa terra

Quando pode cantar

Canta de dor, ô, ô, ô…

E ecoa noite e dia

É ensurdecedor

Aí, mais que agonia

O canto do trabalhador

Esse canto que devia

Ser um canto de alegria

Soa apenas como um soluçar de dor

ô, ô, ô…

Vida de gado

Vocês que fazem parte dessa massa,
Que passam nos projetos, do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais, do que receber.
E ter que demonstrar, sua coragem
A margem do que possa aparecer.
E ver que toda essa, engrenagem
Já sente a ferrugem, lhe comer.

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal
E correm através da madrugada
A única velhice que restou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou.

Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado, Povo feliz.

O povo, foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores, tempos idos
Contemplam essa vida, com a cela
Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo, se acabar
A arca de Noé, o dirigível
Não voam, nem se pode flutuar.

Cidadão

Tá vendo aquele edifício moço
Ajudei a levantar
Foi um tempo de aflição
Eram quatro condução
Duas prá ir, duas prá voltar
Hoje depois dele pronto
Olho prá cima e fico tonto
Mas me vem um cidadão
E me diz desconfiado
“Tu tá aí admirado?
Ou tá querendo roubar?”
Meu domingo tá perdido
Vou prá casa entristecido
Dá vontade de beber
E prá aumentar meu tédio
Eu nem posso olhar pro prédio
Que eu ajudei a fazer.

Tá vendo aquele colégio moço
Eu também trabalhei lá
Lá eu quase me arrebento
Fiz a massa, pus cimento
Ajudei a rebocar
Minha filha inocente
Vem prá mim toda contente
“Pai vou me matricular”
Mas me diz um cidadão:
“Criança de pé no chão
Aqui não pode estudar”
Essa dor doeu mais forte
Por que é que eu deixei o norte
Eu me pus a me dizer
Lá a seca castigava
Mas o pouco que eu plantava
Tinha direito a comer.

Tá vendo aquela igreja moço
Onde o padre diz amém
Pus o sino e o badalo
Enchi minha mão de calo
Lá eu trabalhei também
Lá foi que valeu a pena
Tem quermesse, tem novena
E o padre me deixa entrar
Foi lá que Cristo me disse:
“Rapaz deixe de tolice
Não se deixe amedrontar
Fui eu quem criou a terra
Enchi o rio, fiz a serra
Não deixei nada faltar
Hoje o homem criou asa
E na maioria das casas
Eu também não posso entrar
Fui eu quem criou a terra
Enchi o rio, fiz a serra
Não deixei nada faltar
Hoje o homem criou asas
E na maioria das casas
Eu também não posso entrar”

Advento Nordestino

O sertão seco pela chuva a suspirar

Dos oprimidos geme o peito em oração

Vem ó senhor nos libertar, mão tarde mais,

Junta esse povo e realiza a promissão.

LÁ VEM,

LÁ VEM,

JÁ SE APROXIMA A REDENÇÃO.

A terra presa nas mãos de tão pouca gente

Dos desterrados é imensa a multidão

Tomando o rumo sem destino das estradas

Eles têm fome de justiça, terra e pão.

A cena verde nada tem de esperança

Teu povo humilde cansa de lutar em vão

Mãos calejadas, geme o velho e a criança

Quando será o dia da libertação?

Uma Margarida foi pisada em pleno campo

Pela botina do devastador patrão

Regada a terra por seu sangue e tanto pranto

Bem mais florida há de ser a estação.

Os capatazes nos açoitam com os olhares

E nos arrancam desumana produção

Se alonga a hora, mas encurta os meus ganhares

Do operário é demais a servidão.

O desemprego e a fome mandam na cidade

Dos miseráveis é sem fim a procissão

Quantas crianças pelas ruas abandonadas

Tua revolta sobe em meu coração.

Um Santo Dias já raiou pro operário

Vencido o medo, sai as praças o peão

É um só grito por emprego e for salário

A bala fere mais o grito escutarão.

Dos encurvados as cabeças se levantam

Dos explorados unem-se as cansadas mãos

E os gemidos vão virando um forte canto

O pobre unido é sinal de redenção!

Maria Maria

Maria, Maria é um dom, uma certa magia

Uma força que nos alerta

Uma mulher que merece viver e amar

Como qualquer outra no planeta

Maria, Maria é o som, é a cor, é o suor

É a dose mais forte e lenta

De uma gente que ri quando deve chorar

E não vive, apenas agüenta

Mas é preciso ter força

É preciso ter raça

É preciso ter gana sempre

Quem traz no corpo a marca

Maria, Maria

Mistura a dor e a alegria

Mais é preciso ter manha

É preciso ter graça

É preciso ter sonho sempre

Quem traz na pele essa marca

Possui a estranha mania

De ter fé na vida.

Último pau-de-arara

A vida aqui só é ruim

Quando num chove no chão

Mais se chover dá de tudo

Fartura tem de porção

Tomara que chova logo

Tomara, meu deus, tomara

Só deixo o meu Cariri

No último pau-de-arara.

Enquanto a minha vaquinha

Tiver o couro e o osso

E poder com o chocalho

Pendurado no pescoço

Eu vou ficando por aqui

Que deus do céu me ajude

Quem sai da terra natal

Em outros cantos num pára

Só deixo o meu Cariri

No último pau-de-arara.

É de dar água na boca

E de dar água na boca

Quando eu olho pra você

O meu coração, coitado

Fica logo acelerado

Fica louco de prazer.

Tem dó de mim

Não faz assim que dói demais

Você comigo é muito bom

O meu amor é sempre mel

Eu sou uma estrela

Precisando do seu céu

Vem pros meus braços ser feliz

Vem pro meu colo chamegar

Me dá um beijo

Meu desejo é te amar.

Vida de viajante

Minha vida é andar por este país

Pra ver se um dia eu descanso feliz

Guardado as recordações

Das terra onde passei

Andando pelos sertões

E os amigos que lá deixei

Chuva, Sol, Poeira e carvão

Longe de cara sigo o roteiro

Mais uma estação. Lalá , Lalá…

E A ALEGRIA NO CORAÇÃO

Minha vida é andar…

Mar e terra, inverno e verão

Mostro alegria, mostro sorriso

Mais eu mesmo não. Lalá, Lalá…

E A SAUDADE NO CORAÇÃO

AUÊ, AUÊ, AUÊ…

Ai que saudade de ocê

Não se admire se um dia

Um beija flor invadir

A porta da tua casa

Te dar um beijo e partir

Fui eu que mandei um beijo

Que e pra matar meu desejo

Faz tempo que não te vejo

Ai que saudade de ocê.

Se um dia você se lembrar

Escreva uma carta pra mim

Bote logo no correio

Com frases dizendo assim

Faz tempo que não te vejo

Quero matar meu desejo

Te mando um monte de beijos

Ai que saudade de ocê.

E se quiser recordar

Aquele nosso namoro

Quando eu ia viajar

Você caia no choro

Eu chorando pela estrada

Mais o que eu posso fazer

Trabalhar e minha sina

Eu gosto mesmo e de ocê.

Riacho no navio

RIACHO DO NAVIO, CORRE PRO PAGEÚ

O RIO PAGEÚ VAI DESPETAR

NO SÃO FRANCISCO,

E O RIO SÃO FRANCISCO

VAI BATER NO MEIO DO MAR.

Há! Se eu fosse um peixe

Ao contrário do rio,

Nadava contra as águas

E nesse desafio

Saia lá no mar

Pro Riacho do Navio

E eu direitinho

Pro Riacho do Navio.

Pra ver o meu benzinho

Fazer umas caçadas

Ver as pegas de boi

Andar na vaquejada

Dormir ao som do chocalho

E acordar com a passarada

Sem rádio e sem notícia

Das terras civilizadas.

Asa branca – (Luiz Gonzaga)

Quando olhei a terra ardendo

Na noite de São João

Eu perguntei, a Deus do céu, aí

Porque tamanha judiação.

Que braseiro, que fornalha

Nem um pé de plantação.

Por falta d’água perdi meu gado

Morreu de sede meu alazão.

Até mesmo a asa branca, bateu asas do sertão.

Então eu disse: “Adeus Rosinha, guarda contigo meu coração.”

Hoje longe muitas léguas

Numa triste solidão

Espero a chuva cair de novo

Pra eu voltar pro meu sertão.

Quando o verde dos teus olhos

Se espalhar na plantação

Eu te asseguro, não chore não viu

Que eu voltarei, viu. Meu coração!

A volta da asa branca – (Luiz Gonzaga)

Já faz três noites que o norte relampeia

E a asa branca ouvindo o ronco do trovão

Já bateu as asas de volta pro meu sertão, ai, ai,

Eu vou me embora, vou cuidar da plantação.

A seca fez eu desertar da minha terra

Mais felizmente deus agora se alembrou

De mandar chuva pra esse sertão sofredor

Sertão das muié séria, dos home trabaiador.

Rios correndo as cachoeiras tão zoando

Terra moiada mato verde que riqueza

A asa branca a tarde canta, que beleza

Ai, ai, o povo alegre, mais alegre a natureza.

Olhando a chuva me recordo de Rosinha

A linda flor do meu sertão pernambucano

E se a safra não atrapalhar meus planos

Vou falar com seu Vigário, vou casar no fim do ano.

Romaria

É de sonho e de pó

O destino é um só

Feito ou perdido em pensamento

Sob o meu cavalo.

É laço e de nó. De gibeira

O jiló, desta vida

Sofrida a só

Sou caipira, pira, porá

Nossa Senhora de Aparecida

Ilumina a mina escura e funda

Do trem da mina vida

O meu pai foi peão

Minha mãe solidão

Meus irmãos perderam-se na vida

Em busca de aventuras

Descasei, joguei, desisti, insisti

Se a sorte eu não sei, nunca vi

Me disseram, porém

Que eu visse aqui

Pra pedir em romaria e

Preces, Paz aos desalentos

Como eu não sei rezar

Só queria mostrar

Meu olhar, meu olhar, meu olhar.

Filho do dono

Não sou profeta nem tão visionário

Mas o diário desse mundo ta na cara

Um viajante na boléia do destino

Sou mais um fio da tesoura e da navalha

Levando vida tiro versos da cartola

Chora viola nesse mundo sem amor

Desigualdade rima com hipocrisia

Não tem verso nem poesia

Que console o cantador

A natureza e a fumaça se mistura

Morre a criatura e o planeta sente dor

O desespero no olhar de uma criança

A humanidade fecha os olhos pra não ver

Televisão, fantasia e violência

Aumenta o crime e cresce a fome do poder

Boi com sede lama

Barriga seca não da sono

Eu não sou dono do mundo

Mais tenho culpa

Por que sou filho do dono.

Andança

Vi tanta areia andei

Da lua cheia eu sei

Uma saudade imensa

Vagando em verso eu vi

Vestido de cetim

Na mão direita a rosas

Vou levar.

Olha a lua mansa se derramar

Ao luar descansa meu caminhar

Meu olhar em festa se fez feliz

Lembro a seresta que um dia eu fiz.

Já me faz a guerra por não saber

Que esta guerra encerra meu bem querer

E jamais termina me caminhar

Só o amor ensina onde vou chegar

Rodei a roda andei

Dança da moda eu sei

Cansei de ser sozinho

Verso encantado eu usei

Meu namorado é rei

Nas lendas do caminho

Onde andei

No passo da estrada só faço andar

Tenho meu amado a me acompanhar

Vim de longe léguas cantando eu vim

Vou não faço tréguas sou mesmo assim.

Amor

Amor

Me leva amor

Por onde for

Quero ser seu par.

Tempos modernos

Eu vejo a vida melhor no futuro

Eu vejo isso por cima do muro da hipocrisia

Que insiste em nos rodear

Eu vejo a vida mais clara e farta,

Repleta de toda satisfação

Que se tem direito

Do firmamento ao chão.

Eu quero crer no amor numa boa

Que isso valha pra qualquer pessoa

Que realizar a força que tem uma paixão

Eu vejo um novo começo de era

De gente fina elegante e sincera

Com habilidade pra dizer

Mas sim do que não

Não, não

Hoje o tempo voa, amor, escore pelas mãos

Mesmo sem sentir, que não há tempo

Que volte amor

Vamos viver tudo o que há pra viver

Vamos nos permitir.

Fácil

Tudo é tão azul e calmo como sempre.

Os olhos piscaram de repente, um sonho.

As coisas são assim, quando se esta amando.

As bocas não se deixam e o segundo não tem fim.

Um dia feliz, às vezes é muito raro.

Falar é complicado, quero uma canção;

Fácil, extremamente fácil,

Pra você e eu e todo mundo cantar junto.

Nada se torna claro, pateticamente pálido,

E o coração dispara e eu vejo o teu caro.

A vida é tão simples, mas dá medo de tocar.

As mãos se procuram sós, como a gente mesmo quis,

É é é…

Solidão

A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.

Cavalo de pau

De puro éter assoprava o vento
Formando ondas pelo milharal
Teu pelo claro boneca dourada
Meu pelo escuro cavalo-de-pau

Cavalo doido por onde trafegas
Depois que eu vim parar na capital
Me derrubaste como quem me nega
Cavalo doido, cavalo de pau

Cavalo doido em sonho me levas
Teu nome é tempo vento vendaval
Me derrubaste como quem me nega
Cavalo doido, cavalo de pau

Coração bobo

Meu coração tá batendo
Como quem diz:
“Não tem jeito!”
Zabumba bumba esquisito
Batendo dentro do peito

Coração-bôbo
Coração-bola
Coração-balão
Coração-São-João
A gente
Se ilude, dizendo:
“Já não há mais coração!”

Dia branco

Se você vier
Pro que der e vier
Comigo…

Eu lhe prometo o sol
Se hoje o sol sair
Ou a chuva…

Se a chuva cair
Se você vier
Até onde a gente chegar
Numa praça
Na beira do mar
Num pedaço de qualquer lugar…

Nesse dia branco
Se branco ele for
Esse tanto
Esse canto de amor
Oh! oh! oh…

Se você quiser e vier
Pro que der e vier
Comigo

Dona da minha cabeça

Dona da minha cabeça ela vem como um carnaval
E toda paixão recomeça, ela é bonita, é demais
Não há um porto seguro, futuro também não há
Mas faz tanta diferença quando ela dança, dança

Eu digo e ela não acredita, ela é bonita demais

Dona da minha cabeça quero tanto lhe ver chegar
Quero saciar minha sede milhões de vezes, milhões de vezes

Na força dessa beleza é que eu sinto firmeza e paz
Por isso nunca desapareça
Nunca me esqueça, eu não te esqueço jamais.

Assum preto

Tudo em vorta é só beleza
Sol de Abril e a mata em frô
Mas Assum Preto, cego dos óio
Num vendo a luz, ai, canta de dor (bis)
Tarvez por ignorança
Ou mardade das pió
Furaro os óio do Assum Preto
Pra ele assim, ai, cantá de mió (bis)
Assum Preto veve sorto
Mas num pode avuá
Mil vez a sina de uma gaiola
Desde que o céu, ai, pudesse oiá (bis)
Assum Preto, o meu cantar
É tão triste como o teu
Também roubaro o meu amor
Que era a luz, ai, dos óios meus
Também roubaro o meu amor
Que era a luz, ai, dos óios meus.

Que nem giló

Se a gente lembra só por lembrar
O amor que a gente um dia perdeu
Saudade inté que assim é bom
Pro cabra se convencer
Que é feliz sem saber
Pois não sofreu

Porém se a gente vive a sonhar
Com alguém que se deseja rever
Saudade, entonce, aí é ruim
Eu tiro isso por mim,
Que vivo doido a sofrer

Ai quem me dera voltar
Pros braços do meu xodó
Saudade assim faz roer
E amarga qui nem jiló
Mas ninguém pode dizer
Que me viu triste a chorar
Saudade, o meu remédio é cantar

Do terceiro milênio pra frente

Quando o último adeus desse milênio
Despedir-se de toda a humanidade
Descerá uma grande novidade
Entre átomos, íons e hidrogênio
Nascerá desse todo um grande gênio
Com enorme cultura diferente
Ensinando pra todos claramente
O porquê de uma causa ter efeito
Estará nosso globo desse jeito
Do terceiro milênio para a frente
Podem crer que daqui a uns cem anos
Automóveis não queimam gasolina
Não há mais reatores nem turbina
Provocando ruídos desumanos
Neste tempo os norte-americanos
Pedirão o dinheiro para a gente
Nós faremos com eles prontamente
Tudo o quanto conosco eles têm feito
Estará nosso globo desse jeito
Do terceiro milênio para a frente
Em dois mil e quinhentos mais ou menos
Há mudança geral em toda parte
Os humanos escrevem para marte
Pegam táxi aéreo para vênus
Já os grandes não zombam dos pequenos
Porque o mundo só terá um presidente
Que vai unir ocidente e oriente
Sem senado, sem câmara, sem prefeito
Estará nosso globo desse jeito
Do terceiro milênio para a frente.

Banquete dos signos

Discutir o cangaço com liberdade
É saber da viola, da violência
Descobrir nos cabelos inocência
É saber da fatal fertilidade

Descobrir a cidade na natureza
Descobrir a beleza dessa mulher
Descobrir o que der boniteza
Na peleja do homem que vier
Quando vier

Descobrir no bagaço dos engenhos
No melaço da cana mais um beijo
Descobrir os desejos que não tem cura
saracura do brejo na novena
Descobrir a serena da natureza
Descobrir a beleza dessa mulher
Descobrir o que der boniteza
Na peleja do homem que vier
Quando vier.

A Serpente E A Estrela

Há um brilho de faca
Onde o amor vier
E ninguém tem o mapa
Da alma da mulher…

Ninguém sai
Com o coração sem sangrar
Ao tentar revelar
Um ser maravilhoso
Entre a Serpente
E a Estrela…

Um grande amor do passado
Se transforma em aversão
E os dois lado a lado
Corroem o coração…

Não existe saudade
Mais cortante
Que a de um
Grande amor ausente
Dura feito um diamante
Corta a ilusão da gente…

Toco a vida prá frente
Fingindo não sofrer
Mas o peito dormente
Espera um bem querer
E sei que não será surpresa
Se o futuro me trouxer
O passado de volta
Num semblante de mulher.

Saga da Amazônia

Era uma vez na Amazônia a mais bonita floresta
mata verde, céu azul, a mais imensa floresta
no fundo d’água as Iaras, caboclo lendas e mágoas
e os rios puxando as águas

Papagaios, periquitos, cuidavam de suas cores
os peixes singrando os rios, curumins cheios de amores
sorria o jurupari, uirapuru, seu porvir
era: fauna, flora, frutos e flores

Toda mata tem caipora para a mata vigiar
veio caipora de fora para a mata definhar
e trouxe dragão-de-ferro, prá comer muita madeira
e trouxe em estilo gigante, prá acabar com a capoeira

Fizeram logo o projeto sem ninguém testemunhar
prá o dragão cortar madeira e toda mata derrubar:
se a floresta meu amigo, tivesse pé prá andar
eu garanto, meu amigo, com o perigo não tinha ficado lá

O que se corta em segundos gasta tempo prá vingar
e o fruto que dá no cacho prá gente se alimentar?
depois tem o passarinho, tem o ninho, tem o ar
igarapé, rio abaixo, tem riacho e esse rio que é um mar

Mas o dragão continua a floresta devorar
e quem habita essa mata, prá onde vai se mudar???
corre índio, seringueiro, preguiça, tamanduá
tartaruga: pé ligeiro, corre-corre tribo dos Kamaiura

No lugar que havia mata, hoje há perseguição
grileiro mata posseiro só prá lhe roubar seu chão
castanheiro, seringueiro já viraram até peão
afora os que já morreram como ave-de-arribação
Zé de Nata tá de prova, naquele lugar tem cova
gente enterrada no chão:

Pos mataram índio que matou grileiro que matou posseiro
disse um castanheiro para um seringueiro que um estrangeiro
roubou seu lugar

Foi então que um violeiro chegando na região
ficou tão penalizado que escreveu essa canção
e talvez, desesperado com tanta devastação
pegou a primeira estrada, sem rumo, sem direção
com os olhos cheios de água, sumiu levando essa mágoa
dentro do seu coração

Aqui termina essa história para gente de valor
prá gente que tem memória, muita crença, muito amor
prá defender o que ainda resta, sem rodeio, sem aresta
era uma vez uma floresta na Linha do Equador.

Veja

Veja você
Arco-íris já mudou de cor
Uma rosa nunca mais desabrochou
Eu não quero ver você…
Com esse gosto de sabão na boca
Arco-íris já mudou de cor
Uma rosa nunca mais desabrochou
Não quero ver você…
Eu não quero ver…

Veja meu bem
Gasolina já subiu de preço

Eu não quero nunca mais seu endereço
Ou é o começo do fim
Ou é o fim..
Eu vou partir pra cidade garantida, proibida
Arranjar meio de vida, Margarida
Pra você gostar de mim…
E essas feridas da vida, Margarida
E essas feridas da vida, amarga vida
Pra você gostar de mim.

Cantiga Para Voar

Cantiga de campo
de concentração
a gente bem sente
com precisão
mas recordo a tua imagem
naquela viagem
que eu fiz pro sertão
eu que nasci na floresta
canto e faço festa
no seu coração
Voa, voa, azulão.
Voa, voa, azulão.

Cantiga de roça
de um cego apaixonado
cantiga de moça
lá do cercado
que canta a fauna e a flora
e ninguém ignora
se ela quer brotar
bota uma flor no cabelo
com alegria e zelo
para não secar
Voa, voa no ar
Voa, voa no ar
Cantiga de ninar
a criança na rede
mentira de água
é matar a sêde:
diz pra mãe que eu fui pro açude
fui pescar um peixe
isso eu num fui não
tava era com um namorado
pra alegria e festa
do meu coração
Voa, voa azulão
Voa, voa azulão

Cantiga de índio
que perdeu sua taba
no peito esse incêndio
céu não se apaga
deixe o índio no seu canto
que eu canto um acalanto
faço outra canção
deixe o peixe, deixe o rio
que o rio é um fio de inspiração
Voa, voa azulão

Marina

Marina, morena
Marina, você se pintou
Marina, você faça tudo
Mas faça um favor
Não pinte esse rosto que eu gosto
Que eu gosto e que é só meu
Marina, você já é bonita
Com o que deus lhe deu
Me aborreci, me zanguei
Já não posso falar
E quando eu me zango, marina
Não sei perdoar
Eu já desculpei muita coisa
Você não arranjava outra igual
Desculpe, marina, morena
Mas eu tô de mal

De mal com você
De mal com você.

Procissão

Olha lá
Vai passando
A procissão
Se arrastando
Que nem cobra
Pelo chão
As pessoas
Que nela vão passando
Acreditam nas coisas
Lá do céu
As mulheres cantando
Tiram versos
Os homens escutando
Tiram o chapéu

Eles vivem penando
Aqui na Terra
Esperando
O que Jesus prometeu
E Jesus prometeu
Coisa melhor
Prá quem vive
Nesse mundo sem amor
Só depois de entregar
O corpo ao chão
Só depois de morrer
Neste sertão

Eu também
Tô do lado de Jesus
Só que acho que ele
Se esqueceu
De dizer que na Terra
A gente tem
De arranjar um jeitinho
Pra viver

Muita gente se arvora
A ser Deus
E promete tanta coisa
Pro sertão
Que vai dar um vestido
Pra Maria
E promete um roçado
Pro João

Entra ano, sai ano
E nada vem
Meu sertão continua
Ao Deus dará
Mas se existe Jesus
No firmamento
Cá na Terra
Isso tem que se acabar.

Tropicália

Sobre a cabeça os aviões
Sob os meus pés os caminhões
Aponta contra os chapadões
Meu nariz
Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento
No planalto central do país…

Viva a bossa
Sa, sa
Viva a palhoça
Ca, ça, ça, çaO monumento
É de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde
Atrás da verde mata
O luar do sertão
O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga
Estreita e torta
E no joelho uma criança
Sorridente, feia e morta
Estende a mão…

Viva a mata
Ta, ta
Viva a mulata
Ta, ta, ta, ta…(2x)

No pátio interno há uma piscina
Com água azul de Amaralina
Coqueiro, brisa
E fala nordestina
E faróis
Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira
Entre os girassóis…

Viva Maria
Ia, ia
Viva a Bahia
Ia, ia, ia, ia…(2x)

No pulso esquerdo o bang-bang
Em suas veias corre
Muito pouco sangue
Mas seu coração
Balança um samba de tamborim
Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhoras e senhores
Ele põe os olhos grandes
Sobre mim…

Viva Iracema
Ma, ma
Viva Ipanema
Ma, ma, ma, ma…(2x)

Domingo é o fino-da-bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém!
O monumento é bem moderno
Não disse nada do modelo
Do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem!
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem!…

Viva a banda
Da, da
Carmem Miranda
Da, da, da, da.

Alegria

Caminhando contra o vento
Sem lenço e sem documento
No sol de quase dezembro
Eu vou…

O sol se reparte em crimes
Espaçonaves, guerrilhas
Em cardinales bonitas
Eu vou…

Em caras de presidentes
Em grandes beijos de amor
Em dentes, pernas, bandeiras
Bomba e Brigitte Bardot…

O sol nas bancas de revista
Me enche de alegria e preguiça
Quem lê tanta notícia
Eu vou…

Por entre fotos e nomes
Os olhos cheios de cores
O peito cheio de amores vãos
Eu vou
Por que não, por que não…

Ela pensa em casamento
E eu nunca mais fui à escola
Sem lenço e sem documento,
Eu vou…

Eu tomo uma coca-cola
Ela pensa em casamento
E uma canção me consola
Eu vou…

Por entre fotos e nomes
Sem livros e sem fuzil
Sem fome, sem telefone
No coração do Brasil…

Ela nem sabe até pensei
Em cantar na televisão
O sol é tão bonito
Eu vou…

Sem lenço, sem documento
Nada no bolso ou nas mãos
Eu quero seguir vivendo, amor
Eu vou…

Por que não, por que não…

Trem das sete

i, ói o trem, vem surgindo de trás das montanhas azuis, olha o trem
Ói, ói o trem, vem trazendo de longe as cinzas do velho éon

Ói, já é vem, fumegando, apitando, chamando os que sabem do trem
Ói, é o trem, não precisa passagem nem mesmo bagagem no trem

Quem vai chorar, quem vai sorrir ?
Quem vai ficar, quem vai partir ?
Pois o trem está chegando, tá chegando na estação
É o trem das sete horas, é o último do sertão, do sertão

Ói, olhe o céu, já não é o mesmo céu que você conheceu, não é mais
Vê, ói que céu, é um céu carregado e rajado, suspenso no ar

Vê, é o sinal, é o sinal das trombetas, dos anjos e dos guardiões
Ói, lá vem Deus, deslizando no céu entre brumas de mil megatons

Ói, olhe o mal, vem de braços e abraços com o bem num romance astral

Maluco beleza

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual…

Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real…

Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez…

Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza…

E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir…

Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!…
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez

Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com toda certeza
Maluco, maluco beleza…

Divina comédia urbana

stava mais angustiado que um goleiro na hora do gol
Quando você entrou em mim como um Sol no quintal
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou ser feliz direito
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um encontro casual
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou viver satisfeito
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um transa sensual
Deixando a profundidade de lado
Eu quero é ficar colado à pele dela noite e dia
Fazendo tudo de novo e dizendo sim à paixão morando na filosofia
Eu quero gozar no seu céu, pode ser no seu inferno
Viver a divina comédia humana onde nada é eterno
Ora direis, ouvir estrelas, certo perdeste o senso
Eu vos direi no entanto:
Enquanto houver espaço, corpo e tempo e algum modo de dizer não
Eu canto

Todo sujo de batom

Eu estou muito cansado
Do peso da minha cabeça,
Desses dez anos passados, presentes
Vividos entre o sonho e o som
Eu estou muito cansado
De não poder falar palavra
Sobre essas coisas sem jeito
Que eu trago no peito
E que eu acho tão bom.

Quero uma balada nova
Falando de brotos, de coisas assim
De money, de lua, de ti e de mim
Um cara tão sentimental

Quero uma balada nova
Falando de brotos, de coisas assim
De money, de lua, de ti e de mim
Um cara tão sentimental

Quero a sessão de cinema das cinco
Pra beijar a menina e levar a saudade
Na camisa toda suja de batom

Quero a sessão de cinema das cinco
Pra beijar a menina e levar a saudade
Na camisa toda suja de batom

Galos, Noites e Quintais

Quando eu não tinha o olhar lacrimoso,
que hoje eu trago e tenho;
Quando adoçava meu pranto e meu sono,
no bagaço de cana do engenho;
Quando eu ganhava esse mundo de meu Deus,
fazendo eu mesmo o meu caminho,
por entre as fileiras do milho verde
que ondeia, com saudade do verde marinho:

Eu era alegre como um rio,
um bicho, um bando de pardais;
Como um galo, quando havia…
quando havia galos, noites e quintais.
Mas veio o tempo negro e, à força, fez comigo
o mal que a força sempre faz.
Não sou feliz, mas não sou mudo:
hoje eu canto muito mais

Carcará

Carcará
Lá no sertão
É um bicho que avoa que nem avião
É um pássaro malvado
Tem o bico volteado que nem gavião
Carcará
Quando vê roça queimada
Sai voando, cantando,
Carcará
Vai fazer sua caçada
Carcará come inté cobra queimada
Quando chega o tempo da invernada
O sertão não tem mais roça queimada
Carcará mesmo assim num passa fome
Os burrego que nasce na baixada
Carcará
Pega, mata e come
Carcará
Num vai morrer de fome
Carcará
Mais coragem do que home
Carcará
Pega, mata e come
Carcará é malvado, é valentão
É a águia de lá do meu sertão
Os burrego novinho num pode andá
Ele puxa o umbigo inté matá
Carcará
Pega, mata e come
Carcará
Num vai morrer de fome
Carcará
Mais coragem do que home
Carcará

Pétala

O seu amor
Reluz
Que nem riqueza
Asa do meu destino
Clareza do tino
Pétala
De estrela caindo
Bem devagar…

Oh! meu amor!
Viver
É todo sacrifício
Feito em seu nome
Quanto mais desejo
Um beijo, um beijo seu
Muito mais eu vejo
Gosto em viver
Viver!

Por ser exato
O amor não cabe em si
Por ser encantado
O amor revela-se
O Ser amor
Invade
E fim

Meu bem querer

meu bem querer
é segredo, é sagrado
está sacramentado
em meu coração
meu bem querer
tem um quê de pecado
acariciado pela emoção

meu bem querer
meu encanto, estou sofrendo tanto
amor, e o que é o sofrer
para mim que estou
jurado pra morrer de amor

Oceano

Assim
Que o dia amanheceu
Lá no mar alto da paixão,
Dava prá ver o tempo ruir
Cadê você?
Que solidão!
Esquecera de mim?

Enfim,
De tudo o que
Há na terra
Não há nada em lugar
Nenhum!
Que vá crescer
Sem você chegar
Longe de ti
Tudo parou
Ninguém sabe
O que eu sofri…

Amar é um deserto
E seus temores
Vida que vai na sela
Dessas dores
Não sabe voltar
Me dá teu calor…

Vem me fazer feliz
Porque eu te amo
Você deságua em mim
E eu oceano
E esqueço que amar
É quase uma dor…

Só sei viver
Se for por você!

Faltando um pedaço

O amor é um grande laço, um passo pr’uma armadilha
Um lobo correndo em círculos pra alimentar a matilha
Comparo sua chegada com a fuga de uma ilha:
Tanto engorda quanto mata feito desgosto de filha

O amor é como um raio galopando em desafio
Abre fendas cobre vales, revolta as águas dos rios
Quem tentar seguir seu rastro se perderá no caminho
Na pureza de um limão ou na solidão do espinho

O amor e a agonia cerraram fogo no espaço
Brigando horas a fio, o cio vence o cansaço
E o coração de quem ama fica faltando um pedaço
Que nem a lua minguando, que nem o meu nos seus braços

Viagem

Eu vim de longe pra encontrar o meu caminho,
Tinha um sorriso e o sorriso ainda valia.
Achei difícil a viagem ate aqui, ma eu cheguei, mas eu cheguei.

Eu vim depressa, eu não vim de caminhão.
Eu vim a jato neste asfalto e nesse chão
Achei difícil a viagem até aqui, mas eu cheguei, mas eu cheguei.

Eu vim por causa daquilo que não se vê.
Vim nu, descalço, sem dinheiro e o pior,
Achei difícil a viagem até aqui, mas eu cheguei, mas eu cheguei.

Eu tive ajuda de quem você não acredita.
Tive a esperança de chegar ate aqui.
Vim caminhando, aqui estou, me decidi: Eu vou ficar, eu vou ficar.

O que é, o que é?

Eu fico
Com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita…

Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz…

Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita…

E a vida!
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida
De um coração
Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!…

E a vida
Ela é maravilha
Ou é sofrimento?
Ela é alegria
Ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão…

Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo…

Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor…

Você diz que é luxo e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é
E o verbo é sofrer…

Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser…

Sempre desejada
Por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte…

E a pergunta roda
E a cabeça agita
Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita…

Baião do povo jovem

Os punhos no ar, sonho novo
Nós somos sementes do povo
Queremos ser livres, amar!
Trazemos no peito a esperança
A história na mão, confiança
Que um dia nós vamos ganhar!

Aonde tem gente se unindo
Depressa, nós vamos sorrindo
Nós cremos no novo amanhã
Já chega de morte, injustiça!
Abaixo egoísmo, a preguiça
Da vida nós somos os fãs!
Vamos lá! Vamos lá!

A história ninguém deterá
É rio que corre pro mar
Ninguém vai nos calar, nos calar!

Um ano pro jovem é bem pouco
Pra gente vencer o sufoco
A vida completa se dá
Escola, trabalho, alegria!
Bandeiras de todos os dias!
Na marcha, nós vamos levar!

Queremos dizer aos senhores
Políticos, nobres, doutores!
Com suas multinacionais
Não somos produto na praça
Tão pouco nós achamos graça
O fel ta amargo demais!
Vamos lá! Vamos lá!

Levante essa voz companheiro
E abra o olho ligeiro
Não fuja da luta, jamais!
Em cada caminho ou na rua
Assume essa causa que é tua
Semeie as sementes da paz!
Vamos lá! Vamos lá

Meu erro

Eu quis dizer
Você não quis escutar
Agora não peça
Não me faça promessas…

Eu não quero te ver
Nem quero acreditar
Que vai ser diferente
Que tudo mudou…

Você diz não saber
O que houve de errado
E o meu erro foi crer
Que estar ao seu lado
Bastaria!
Ah! Meu Deus!
Era tudo o que eu queria
Eu dizia o seu nome
Não me abandone…

Mesmo querendo
Eu não vou me enganar
Eu conheço os seus passos
Eu vejo os seus erros
Não há nada de novo
Ainda somos iguais
Então não me chame
Não olhe prá trás…

Você diz não saber
O que houve de errado
E o meu erro foi crer
Que estar ao seu lado
Bastaria!
Ah! Meu Deus!
Era tudo o que eu queria
Eu dizia o seu nome
Não me abandone jamais…

Mesmo querendo
Eu não vou me enganar
Eu conheço os seus passos
Eu vejo os seus erros
Não há nada de novo
Ainda somos iguais
Então não me chame
Não olhe prá trás…

Você diz não saber
O que houve de errado
E o meu erro foi crer
Que estar ao seu lado
Bastaria!
Ah! Meu Deus!
Era tudo o que eu queria
Eu dizia o seu nome
Não me abandone jamais…

Não me abandone jamais… (3x)

Bendito dos romeiros

Bendita e louvada seja esta romaria
Bendito o povo que marcha,
bendito o povo que marcha,
tendo Cristo como guia

Sou, sou teu, Senhor,
sou povo novo, retirante e lutador,
Deus dos peregrinos, dos pequeninos,
Jesus Cristo redentor.

No Egito, antigamente, no meu da
escravidão, Deus libertou o seu povo. Hoje
ele passa de novogritando a llibertação.

Para a terra prometida o povo de Deus
marchou, Moisés andava na frente. Hoje
Moisés é a gente quando enfrenta o
opressor.

Terra, pão e lar

A terra Deus deixou, Deus deixou,
Pra gente trabalhar, trabalhar,
Agindo neste chão,
Pra não faltar o pão
Na mesa de ninguém.

A terra Deus deixou, Deus deixou,
Pra gente habitar, habitar
Plantar e produzir
Colher e repartir,
E ao Pai erguei as mãos.

E ao Pai erguer as mãos – pra agradecer:
Trabalho, chuva e pão – e bendizer!

Rogar do seu amor: acrescentar
Justiça entre nós, saúde e paz.
E ao Pai erguer as mãos – para alertar:
CHá gente aos milhões – sem pão, sem lar.
Rogar do seu amor: a união
Pra gente restaurar a criação.

Utopia

Quando o dia da paz renascer
Quando o Sol da esperança brilhar
Eu vou cantar

Quando o povo nas ruas sorrir
E a roseira de novo florir
Eu vou cantar

Quando as cercas cairem no chão
Quando as mesas se encherem de pão
Eu vou cantar

Quando os muros que cercam os jardins, destruídos
Então os jasmins vão perfurmar

Vai ser tão bonito se ouvir a canção
Cantada de novo
no olhar da gente a certeza de irmãos
reinado do povo (2x)

Quando as armas da destruição
destruídas em cada nação
eu vou sonhar

E o decreto que encerra a opressão
assinado só no coração
vai triunfar

Quando a voz da verdade se ouvir
e a mentira não mais existir
será enfim
tempo novo de eterna justiça
sem amis odio sem sangue ou cobiça
vai ser assim

Vai ser tão bonito se ouvir a canção
Cantada de novo
no olhar da gente a certeza de irmãos
reinado do povo (2x)

Esperando na janela

Ainda me lembro do seu caminhar
Seu jeito de olhar, eu me lembro bem
Fico querendo sentir o seu cheiro
É daquele jeito que ela tem
O tempo todo eu fico feito tonto
Sempre procurando, mas ela não vem
E esse aperto no fundo do peito
Desses que o sujeito não pode aguentar, ah
E esse aperto aumenta meu desejo
Eu não vejo a hora de poder lhe falar

Por isso eu vou na casa dela, ai, ai
Falar do meu amor pra ela, vai
Tá me esperando na janela, ai, ai
Não sei se vou me segurar

Ainda me lembro do seu caminhar
Seu jeito de olhar, eu me lembro bem
Fico querendo sentir o seu cheiro
É daquele jeito que ela tem

O tempo todo eu fico feito tonto
Sempre procurando, mas ela não vem
E esse aperto no fundo do peito
Desses que o sujeito não pode aguentar, ah
E esse aperto aumenta meu desejo
Eu não vejo a hora de poder lhe falar

Por isso eu vou na casa dela, ai, ai
Falar do meu amor pra ela, vai
Tá me esperando na janela, ai, ai
Não sei se vou me segurar

Lenine – Todas Elas Juntas Num Só Ser
by Lenine/carlos Rennó

Não canto mais Babete nem Domingas
Nem Xica nem Tereza, de Benjor;

Nem Drão nem Flora, do baiano Gil;
Nem Ana nem Luiza, do maior;

Já não homenageio Januária,

Joana, Ana, Bárbara, de Chico;

Nem Yoko, a nipônica de Lennon;
Nem a cabocla, de Tinoco e de Tonico;

Nem a tigreza nem a Vera gata
Nem a branquinha, de Caetano;
Nem mesmo a linda flor de Luiz Gonzaga,
Rosinha, do sertão pernambucano;
Nem Risoflora, a flor de Chico Science,
Nenhuma continua nos meus planos.
Nem Kátia Flávia, de Fausto Fawcett;

Nem Anna Júlia do Los Hermanos.

Só você,
Hoje eu canto só você;
Só você,
Que eu quero porque quero, por querer.

Não canto de Melô Pérola Negra;
De Brown e Hebert, uma brasileira;
De Ari, nem a baiana nem Maria,
Nem a Iaiá também, nem minha faceira;
De Dorival, nem Dora nem Marina
Nem a morena de Itapoã;
Divina garota de Ipanema,
Nem Iracema, de Adoniran.

De Jackson do Pandeiro, nem Cremilda;

De Michael Jackson, nem a Billie Jean;

De Jimi Hendrix, nem a doce Angel;
Nem Ângela nem Lígia, de Jobim;

Nem Lia, Lily Braun nem Beatriz,

Das doze deusas de Edu e Chico;
Até das trinta Leilas de Donato,
E de Layla, de Clapton, eu abdico.

Só você,
Canto e toco só você;
Só você,
Que nem você ninguém mais pode haver.

Nem a namoradinha de um amigo
E nem a amada amante de Roberto;
E nem Michelle-me-belle, do beattle Paul;
Nem Isabel - Bebel - de João Gilberto;

E nem B.B., la femme de Serge Gainsbourg;
Nem, de Totó, na malafemmená;
Nem a Iaiá de Zeca Pagodinho;
Nem a mulata mulatinha de Lalá;

E nem a carioca de Vinícius
E nem a tropicana de Alceu
E nem a escurinha de Geraldo
E nem a pastorinha de Noel
E nem a namorada de Carlinhos
E nem a superstar do Tremendão
E nem a malaguenha de Lecuona
E nem a popozuda do Tigrão

Só você,
Hoje elejo e elogio só você,
Só você,
Que nem você não há nem quem nem quê.

De Haroldo Lobo com Wilson Batista,
De Mário Lago e Ataulfo Alves,
Não canto nem Emília nem Amélia,
Nenhuma tem meus vivas! E meus salves!
E nem Angie, do stone Mick Jagger;
E nem Roxanne, de Sting, do Police;
E nem a mina do mamona Dinho
E nem as mina – pá! - do mano Xiz!

Loira de Hervê e loira do É O Tchan,
Lôra de Gabriel, o Pensador;
Laura de Mercer, Laura de Braguinha,
Laura de Daniel, o trovador;
Ana do Rei e Ana de Djavan,

Ana do outro rei, o do baião

Nenhuma delas hoje cantarei:
Só outra reina no meu coração.

Só você,
Rainha aqui é só você,
Só você,
A musa dentre as musas de A a Z.

Se um dia me surgisse uma moça
Dessas que com seus dotes e seus dons,
Inspira parte dos compositores
Na arte das palavras e dos sons,
Tal como Madallene, de Jacques Brel,
Ou como Madalena, de Martinho;
Ou Mabellene e a sixteen de Chuck Berry,
E a manequim do tímido Paulinho;

Ou como, de Caymmi, a moça prosa
E a musa inspiradora Doralice;
Se me surgisse uma moça dessas.
Confesso que eu talvez não resistisse;
Mas, veja bem, meu bem, minha querida;
Isso seria só por uma vez,
Uma vez só em toda a minha vida!
Ou talvez duas... mas não mais que três...

Só você...
Mais que tudo é só você;
Só você...
As coisas mais queridas você é:

Você pra mim é o sol da minha noite;
É como a rosa, luz de Pixinguinha;
É como a estrela pura aparecida,
A estrela a refulgir, do Poetinha;
Você, ó flor, é como a nuvem calma
No céu da alma de Luiz Vieira;
Você é como a luz do sol da vida
De Steve Wonder, ó minha parceira.

Você é pra mim e o meu amor,
Crescendo como mato em campos vastos,
Mais que a gatinha para Erasmo Carlos;
Mais que a cigana pra Ronaldo bastos;
Mais que a divina dama pra Cartola;
Que a domna pra Ventadorn, Bernart;
Que a honey baby pra Waly Salomão
E a funny valentine pra Lorenz Hart.

Só você,
Mais que tudo e todas, é só você;
Só você,
Que é todas elas juntas num só ser.

Kid Abelha – Meu Vício Agora (Cifrada)

George Israel / Paula Toller

Intro:                  solo:
E-7/8-8-7---0-----0----|--------------------------------------------
B-------------6-----6--|---3-5-3------------------------------------
G---------5-----5------|-5--------5-4-2---2-4-5-4---4-2-------------
D----------------------|----------------5---------------5-3-2-------
A----------------------|--------------------------------------5-----
E----------------------|----------------------------------------3---

[Intro:] C Em Am

C        Em   Am
Não vou mais falar de amor
C              Em    D#°
De dor, de coração, de ilusão
F       Em            Dm
Não vou mais falar de sol
Bb
Do mar, da rua,
                  G
Da lua ou da solidão

Meu vício agora é a madrugada
Um anjo, um tigre e um gavião
Que desenho acordada 
Contra o fundo azul
Da televisão

    F       G
Meu vício agora
Em            F
É o passar do tempo
    Dm      G
Meu vício agora
C    F    C     F
Movimento, é o vento
C   Am F
É voar
Em   G
É voar

Solo: F G F G

Não vou mais verter
Lágrimas baratas sem nenhum porquê
Não vou mais vender
Melôs manjadas de karaokê
E mesmo assim fica interessante

Não ser o avesso do que eu era antes
De agora em diante
Ficarei assim
Desedificante

Jorge da Capadócia

 
(Jorge Ben) Músicas Incidentais: "Ponto de Oxossi" (Tradicional) "Duro de Jorge" (Carlinhos Brown)

Jorge
Jorge reggae
Jorge xote
Jorge soul
Jorge
Jorge samba
Jorge funk
Jorge n'roll
Jorge sentou praça
Na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também
Sou da sua companhia
Eu estou vestida com as roupas
E as armas de jorge
Para que meus inimigos tenham pés
E não me alcancem
Para que meus inimigos tenham mãos
E não me toquem
Para que meus inimigos tenham olhos
E não me vejam
E nem mesmo um pensamento
Eles possam ter para me fazerem mal
Porque eu estou vestida com as roupas
E as armas de Jorge
Salve Jorge
Salve Jorge
Salve Jorge
Armas de fogo
O meu corpo não alcançarão
Facas e espadas se quebrem
Sem o meu corpo tocar
Cordas e correntes arrebentem
Sem o meu corpo amarrar
Porque eu estou vestida com as roupas
E as armas de Jorge
Oxossi aylodá yamalabê
Yambelequê yorô
Odé matá coroná

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: